"É um trabalho árduo, mas é o que gosto de fazer", diz produtor de figos de Nova Petrópolis - Economia - Pioneiro

Vers?o mobile

 
 

Fruticultura na Serra09/02/2019 | 08h30Atualizada em 09/02/2019 | 08h30

"É um trabalho árduo, mas é o que gosto de fazer", diz produtor de figos de Nova Petrópolis

Serra Gaúcha vai colher 1,1 milhão de toneladas de frutas. Volmir Kich integra este cenário

"É um trabalho árduo, mas é o que gosto de fazer", diz produtor de figos de Nova Petrópolis Antonio Valiente/Agencia RBS
Volmir Kich vai colher.... Foto: Antonio Valiente / Agencia RBS

O produtor de figos de Linha Temerária, em Nova Petrópolis, Volmir Kich, 47 anos, não reclama de ter que vestir manga longa e luvas em dias com temperaturas acima de 35ºC. É sua proteção para colher as frutas avermelhadas escondidas entre folhas ásperas que podem queimar a pele. Esta foi a atividade que ele escolheu para manter o sustento da família. Pai de dois filhos, ele buscou na produção de figos e goiabas sua fonte de renda.

— É um trabalho árduo, mas é o que gosto de fazer — avalia.

Principal atividade agropecuária dos municípios da Serra, a produção de frutas desta safra vai render 1,1 milhão de toneladas. Os dados são da Emater/RS-Ascar - Regional de Caxias do Sul e envolvem 55 municípios. 

Em Nova Petrópolis, a safra de figos, por exemplo vai render 400 toneladas.  A propriedade de Kich é um exemplo de negócio sustentável. Quando decidiu ingressar na produção das frutas, há sete anos,  buscou informações sobre mercado e pediu ajuda à Emater do município para modernizar a propriedade e produzir de forma correta. Construiu açudes e investiu na irrigação dos pomares da variedade roxo Valinhos. 

Deu certo. Começou com 1,5 hectares e já dobrou a área plantada. Este ano vai colher 40 toneladas da fruta, 17% a mais que no ano passado.

O preço no mercado já esteve bem melhor. Mas ele não desanima:

— Estou em busca de outros mercados que pagam melhor.

No ano passado entregou  boa parte da produção a uma cooperativa da região que pagou R$ 2 o quilo. Este ano, está pagando R$ 1,50. Por conta disso contatou agroindústrias menores que produzem com frutas mais selecionados e conseguiu um valor maior. A colheita segue até final de maio.

Irrigação

As figueiras estão entre as espécies de frutas que mais respondem à irrigação. O agrônomo da Emater Luciano Ilha diz que o mecanismo é praticamente obrigatório para uma produção de qualidade.  O investimento por hectare pode chegar a R$ 6 mil, mas o pomar produz, em média, durante 15 anos.

O negócio de Kich, segundo Ilha, só deu certo porque ele investiu e se especializou no assunto. 

Há três anos, ele participa do Programa de Gestão que é executado pela Emater. O produtor conta com acompanhamento de análise do cenário,  custos de produção, ajuste tecnológico, organização da gestão econômica, social e ambiental da propriedade. 

— Isso ajuda o produtor a se manter produzindo e tendo lucro, enquanto outros acabam tendo que abandonar a atividade — diz Ilha.

A prova do resultado do investimento é o prêmio conquistado na Festa do Figo realizada em Nova Petrópolis este mês. Conquistou o primeiro lugar geral na exposição da Festa do Figo e a primeira classificação na variedade roxo de Valinhos.

Foto:


Raio X da produção na Serra 

Parreiras

Produção deve ficar 20% abaixo da safra passada. O principal motivo da redução foi o granizo ocorrido no final de outubro de 2018. A qualidade da fruta, tanto sanitária quanto da concentração de açúcar é considerada boa, devido ao intenso sol das últimas duas semanas. O término da colheita será no final do mês de março.

Macieira

Estimativa de produtividade abaixo da média histórica. Teve bom florescimento e enfolhamento exuberante. A quebra na produtividade é em função das condições climáticas adversas no período do pegamento das frutas da variedade Gala, a mais cultivada no RS. Segunda em importância, a Fuji apresenta uma carga de frutas além do necessário, exigindo forte intervenção na prática cultural do raleio.

 Pessegueiro

A colheita terminou em janeiro e apresentou frutas e de bom calibre e sanidade. Pomares livres da  principal praga, a mosca-das-frutas, mas a produção foi menor devido ao granizo de outubro. Com menor oferta de pêssegos, o mercado se manteve comprador e o preço acima da média. Os produtores estão cultivando menos variedades tardias e migrando para as precoces. 

Ameixeira

Espécie dependente de polinização cruzada (entre diferentes cultivares), apresentou bom florescimento, porém, pegamento deficiente Foi afetada pelo granizo. A colheita se encerrou no final de janeiro e o preço se manteve acima da média.

 Caquizeiro

Cultura vem enfrentando dificuldades na produção e manutenção da área cultivada. Reduziu nos últimos 15 anos, de 1,550 para 1.140 hectares.  A tendência é reduzir ainda mais. Uma nova doença chamada antracnose ainda não está conseguindo ser combatida e os produtores estão abandonando o cultivo.

Figueiro

Cultura em  colheita, com plantas e figos de calibre na média histórica. Pomares com boa sanidade e vigor. Comercialmente, o preço deste ano está menor, principalmente para a indústria.

Quivizeiro

Pomares evidenciam boa brotação e tiveram um florescimento dentro do esperado.  Teve boa fecundação, traduzindo-se em boa carga de frutas, com previsão de início de colheita em março. Parte da área foi atingida pelo granizo. Cultura continua com sérias questões de manutenção e produção na região, devido incidência do fungo Ceratocystis Fimbriata. A área cultivada reduziu de 300 para 180 hectares nos últimos 15 anos.  

 Pereira

Plantas com boa brotação e frutificação abaixo do esperado, pela necessidade de polinização cruzada afetada sensivelmente pela excessiva umidade nos períodos de fecundação e pegamento.

 Morangueiro

Espécie que pouco se ressentiu da excessiva umidade nos meses de primavera. Apresentou boa produtividade nas diversas floradas. Frutos de qualidade esperada, com produtividade dentro da média. Apesar do aumento constante de produção e oferta da fruta, o preço se mantém estável no período de colheita.

 Goiabeira

Cultura em época de colheita mostra produtividade normal e  boa sanidade dos pomares. Goiabicultores preocupados com o preço e colocação de toda a produção.

 Mirtileiro

Produtividade bem melhor que a da safra passada. Plantas com boa sanidade e frutas de ótima qualidade. Fluxo comercial sem maiores entraves.

 Framboezeira

Com  ótima brotação e florescimento, teve produtividade da primeira safra acima da média . A segunda está  acontecendo agora. Comercialmente, a fruta in natura manteve preços melhores.

 Laranjeira

Espécie em início de frutificação, com plantas de ótima sanidade. Número de frutos um pouco abaixo da média,  o que vai refletir na colheita. No entanto, boa parte da ausência de frutos pode ser compensada pelo calibre/peso das laranjas a serem colhidas.



 
 
 

Veja também

 
Pioneiro
Busca
clicRBS
Nova busca - outros