Começa a colheita da uva na Serra gaúcha - Economia - Pioneiro

Vers?o mobile

 

Agricultura10/12/2018 | 14h44Atualizada em 10/12/2018 | 18h00

Começa a colheita da uva na Serra gaúcha

Produtores do interior de Caxias do Sul comemoram o início da safra que deve render 550 mil toneladas

Começa a colheita da uva na Serra gaúcha Lucas Amorelli/Agencia RBS
A família Dani, no interior de Caxias do Sul, vai colher 5 mil quilos da variedade Vênus Foto: Lucas Amorelli / Agencia RBS

 Na propriedade da família Dani, interior de Caxias do Sul, o ritmo já é frenético. O carretão, que até algumas semanas estava estacionado no galpão, voltou a percorrer as trilhas entre a mata e chegar aos parreirais para buscar caixas e mais caixas de uva. É o começo de uma safra que promete movimentar vinícolas, feiras e mercados da Serra, com a colheita de pelo menos 550 mil toneladas da fruta. 

Leia mais:   
Preço mínimo da uva agrada entidades e produtores da Serra 
Definido o preço mínimo da uva para a safra 2018/2019 

Nas encostas dos morros da localidade de Caravaggio da Terceira Légua, os parreirais começam a ganhar cor. A primeira variedade a apresentar seu aroma e sabor é a Vênus, uma uva de mesa sem sementes, com paladar suave, adocicado e acidez destacada. Na família Dani, a variedade precoce ocupa cerca de meio hectare de área e vai render pelo menos 5 mil quilos. Na Serra, a previsão é colher mais de uma tonelada dessa variedade.

— É o nosso Papai Noel — comemora a matriarca da família, Neusa Dani, 60 anos. 

Nessa época, o preço da fruta é valorizado, pois a oferta no mercado ainda é reduzida. Para o dono da propriedade, Serafini Dani, 56, o melhor preço da safra é pago antes do final do ano. 

— No forte da colheita, quando há muita oferta, o valor cai — alerta.

Toda a uva colhida vai para a Ceasa de Porto Alegre e ele recebe até R$ 4 o quilo. Nos mercados de Caxias, a Vênus é vendida a R$ 8 o quilo. A próxima a chegar é a Niágara rosada e branca, mais adocicada e com menos acidez. Essa variedade ocupa um hectare de terra nas lavouras da família Dani e a produção deve passar das 10 toneladas. O preço, no entanto, deve cair, pois a Serra pretende colher cerca de 60 toneladas deste tipo de fruta.

Uma vindimeira de mão cheia

Ana Júlia Dani é uma jovem de 18 anos e mora com a família no interior de Caxias. Quando o assunto é negociar e empreender parece ter a experiência de uma mulher de 40. Por trás da beleza e da meiguice de menina, revela uma personalidade forte, decidida e disposta a investir para manter o legado da família. 

 CAXIAS DO SUL, RS, BRASIL, 06/12/2018Colheita da uva (primeira leva) em Caravaggio da 6 légua no parreiral da família Dani.Cases:Serafini Dani, Ana Júlia Dani e Neusa (mãe) Dani (Lucas Amorelli/Agência RBS)
Ana Júlia trabalha na colheita. "Gosto do cheiro da uva, da terra"Foto: Lucas Amorelli / Agencia RBS

Ana Júlia herdou dos avós e dos pais o gosto pela terra. É uma forte candidata no combate ao êxodo rural e dos programas de permanência dos jovens no campo. Aluna da Escola Agrícola da Serra Gaúcha (Efaserra), ela divide seu tempo entre as aulas de teoria e prática. Uma semana ela mora na escola e, na outra, vai para casa botar a mão na massa e tentar colocar em prática o que aprendeu. 

— Gosto do cheiro da terra, da uva, do pêssego — destaca.

A labuta diária não a assusta. Pega no batente lado ao lado, junto com os pais. Em época de vindima, acorda cedo, vai para debaixo dos parreirais, colhe e carrega as caixas de uva até o carretão. Nas horas De folga, faz sucos, geleias, colhe mel, faz compotas. 

— Ela tem muita vontade de manter os negócios da família — orgulha-se o pai.

A mãe, Neusa, um pouco mais reticente alerta:

— É um trabalho pesado. Precisa encontrar alguém (um namorado) que goste deste trabalho e que também queira empreender. 

Ana também tem a natureza a seu favor. Localizada em um dos mais belos cenários do interior de Caxias, a propriedade dos Dani tem todos os elementos para se tornar uma forte atração turística na Serra. 

 CAXIAS DO SUL, RS, BRASIL, 06/12/2018Colheita da uva (primeira leva) em Caravaggio da 6 légua no parreiral da família Dani.Cases:Serafini Dani, Ana Júlia Dani e Neusa (mãe) Dani (Lucas Amorelli/Agência RBS)
O produtor Serafini Dani dirige o carretão carregado de uva, que segue até a Ceasa de Porto AlegreFoto: Lucas Amorelli / Agencia RBS

SAIBA MAIS

* A safra 2019 deve render 550 mil toneladas de uva no RS. Na safra passada foram 663 mil toneladas. 

* A chuva de granizo no final de outubro destruiu cerca de 20% da produção em 14 municípios da região.

* Caxias do Sul é o quarto maior produtor do Estado. A previsão é de colher 50 mil toneladas. Quem mais produz é Flores da Cunha, com cerca de 100 mil toneladas. 

* O Conselho Monetário Nacional (CMN) fixou o preço mínimo do quilo da uva industrial em R$ 1,03. O valor ainda não foi publicado no Diário Oficial. 

* São cultivadas 113 variedades da fruta em 129 municípios gaúchos.

Leia também:  
Com fechamento de rodoviárias, veja quais cidades da Serra podem ser beneficiadas com pacote do Daer
Rodoviária de Bom Jesus pode fechar as portas ao final de 2015
Atendimento em rodoviária de Serafina Corrêa é suspenso  

 
 
 

Veja também

 
Pioneiro
Busca
clicRBS
Nova busca - outros