Incremento de R$ 8,5 bilhões em 2017 sinaliza retomada da economia em Bento Gonçalves - Economia - Pioneiro

Versão mobile

 

Empresas faturam 2,5% mais27/11/2018 | 07h25Atualizada em 27/11/2018 | 07h25

Incremento de R$ 8,5 bilhões em 2017 sinaliza retomada da economia em Bento Gonçalves

Comércio e serviços são os responsáveis pelo crescimento

Incremento de R$ 8,5 bilhões em 2017 sinaliza retomada da economia em Bento Gonçalves Marcelo Casagrande/Agencia RBS
Foto: Marcelo Casagrande / Agencia RBS
Pioneiro

Bento Gonçalves vê confirmados os sinais de retomada da economia. Dados da Universidade de Caxias do Sul (UCS) apontam aumento de 2,5% no faturamento das empresas em 2017 comparado com o ano de 2016. Também foram criadas 504 novas vagas de trabalho, e as exportações cresceram 17,2%. O estudo foi publicado na revista Panorama Socioeconômico e apresentado ontem à noite no Centro da Indústria, Comércio e Serviços, o CIC-BG. 

Apesar de a indústria ser o segmento que mais fatura (60,2%), foram o comércio e os serviços os responsáveis pelo crescimento. Enquanto o setor industrial manteve praticamente o mesmo desempenho do ano anterior (-0,4%), os outros segmentos cresceram 5,5% e 9,4%, respectivamente. O total faturado chegou a R$ 8,5 bilhões – R$ 206 milhões a mais do que em 2016. 

Apesar de os moveleiros terem queda em sua participação dentro da indústria, ainda é o setor com maior valor adicionado fiscal (VAF), com 35,4%, seguido pelos setores metalmecânico e material elétrico (18,6%), vinícola (17,2%) e de alimentos (13,6%). O VAF é um indicador indicador utilizado pelo Estado para calcular o índice de participação municipal no repasse de receita tributária relativa à circulação de mercadorias. Os setores de embalagens e plásticos e de borrachas e pneumáticos  tiveram incremento de participação, pulando de 4,1% para 5,9% no primeiro caso e de 3,6% para 4,4% no segundo.

No comércio, os ramos com maior representatividade foram de alimentos e autosserviço (supermercados), com quase 25%, e matérias-primas e insumos, com 15%. Nos serviços, com base na arrecadação de ISSQN (Imposto Sobre Serviços de Qualquer Natureza), a maior participação das atividades é associada à saúde e estética e aos serviços industriais, o que inclui a subcontratação, que respondem, na ordem, por 10,8% e 10,7%.

A arrecadação de impostos federais no município apresentou uma queda de 2,58%, caindo de R$ 961,7 milhões em 2016 para R$ 936,9 milhões. Porém, houve acréscimo de 7% na arrecadação dos tributos estaduais, passando de R$ 331,4 milhões para R$ 354,6 milhões.

– O ICMS teve um acréscimo de 9,3% – observa uma das responsáveis pelo estudo, a professora da UCS Cíntia Paese Giacomello. 

Quanto às receitas municipais, também houve acréscimode 6,09%, passando de R$ 337,6 milhões para R$ 351,8 milhões. Mesmo com crescimento de 11% nas despesas, o superávit foi de R$ 30 milhões.

Foto: Pioneiro

Outros dados

- O polo moveleiro de Bento Gonçalves representa 23,2% do faturamento do município (RS 1,76 bilhão).
- O PIB per capita é de R$ 46,4 mil (2015).
- Os sucos de uva representam 58% das vendas das vinícolas no mercado interno.
- A rede de ensino da cidade tem 96 estabelecimentos que empregam 3.217 pessoas.
- Bento Gonçalves possui 10,2 mil estabelecimentos (PJs), ou seja, uma empresa para cada 11,2 habitantes.
- Somadas, as poupanças dos bento-gonçalvenses alcançam R$ 1,33 bilhão (2016).
- Dos 8,5 bilhões faturados em 2017, a indústria  responde por R$ 5,1 bilhões.

Leia também
"Queremos trabalhar", clamam funcionários da Eberle Motores
Sindilojas sugere ampliação no horário de funcionamento das lojas em dezembro

 
 
 

Veja também

 
Pioneiro
Busca
clicRBS
Nova busca - outros