Depósito da Eberle Motores está disponível na 2ª Vara do Trabalho - Economia - Pioneiro

Vers?o mobile

 

Caso Voges23/11/2018 | 18h50Atualizada em 23/11/2018 | 18h54

Depósito da Eberle Motores está disponível na 2ª Vara do Trabalho

A partir de agora, cabe ao juiz da 3ª Vara Cível dizer se aceita ou não o pagamento da primeira parcela das dívidas trabalhistas

Depósito da Eberle Motores está disponível na 2ª Vara do Trabalho Diogo Sallaberry/Agencia RBS
Foto: Diogo Sallaberry / Agencia RBS

Os R$ 2 milhões referentes a primeira parcela do pagamento de parte das dívidas dos ex-trabalhadores da antiga Voges Motores está disponível na 2ª Vara de Trabalho de Caxias do Sul.

A informação foi passada na tarde desta sexta-feira (23) pelo advogado do Sindicato dos Metalúrgicos, Valdecir Souza de Lima, que representou a entidade na negociação e assegura que todas as etapas de negociação foram acompanhadas pela diretoria da entidade.  O acionista e advogado da empresa compradora Biehl Metalúrgica, de São Leopoldo, confirmou a informação no início da noite desta sexta-feira (23).

A partir de agora, cabe ao juiz da 3ª Vara Cível e  responsável pelo processo, Clóvis Mattana Ramos, aceitar ou não o depósito feito via carta fiança. Se confirmado,  o gerenciamento dos recursos será feito pelo escritório responsável pela administração judicial do processo, Nelson Luiz Sperotto. 

Leia mais:  
Primeira parcela da venda da Voges Motores deve ser depositada nesta sexta
Sindicato dos Metalúrgicos pede anulação da venda da Voges

A agora, Eberle Motores,  emprega atualmente cerca de 200 funcionários,  que garantem estarem com o salário em dia e otimistas com a possibilidade do negócio ser efetivado. 

— Estamos otimistas e confiantes. O clima na empresa está muito bom — relata o funcionário Joacir Rech, que trabalha na empresa há 42 anos.

A informação também é confirmada pela gerente de RH da Eberle, Ariele Bohn. Na terça-feira, o Sindicato dos Metalúrgicos divulgou uma nota pedindo a anulação da venda da empresa, devido ao descumprimento de cláusulas do acordo.

O negócio de compra e venda envolve as cifras de R$ 40 milhões. Destes, R$ 20 milhões seriam destinados para o pagamento dos direitos trabalhistas. Além dos R$ 2 milhões de entrada, outras 18 parcelas de R$ 1 milhão seriam repassadas para o acerto com os trabalhadores. Cerca de 2,5 mil famílias estão envolvidas no processo. 


Foto:

Leia também:
CIC divulga pesquisa com dados inéditos do turismo em Caxias




 
 
 

Veja também

 
Pioneiro
Busca
clicRBS
Nova busca - outros