Comércio 24 horas começa a ganhar espaço em Caxias - Economia - Pioneiro

Versão mobile

 

Compras de última hora30/11/2018 | 10h40Atualizada em 30/11/2018 | 10h40

Comércio 24 horas começa a ganhar espaço em Caxias

Pelos menos sete pontos comerciais e de serviços atendem durante as madrugadas. É pouco, mas já é uma evolução 

Comércio 24 horas começa a ganhar espaço em Caxias Lucas Amorelli/Agencia RBS
Fruteira Barcelona é a pioneira no ramo em Caxias. Funciona todas as madrugadas Foto: Lucas Amorelli / Agencia RBS

Com mais de 500 mil habitantes, Caxias do Sul ainda engatinha para conquistar o título de cidade grande. Os estabelecimentos comerciais relutam em mudar de hábitos. Prova disso está no pequeno número de lojas de rua que abrem aos domingos e feriados e os restaurantes que funcionam depois da meia-noite. As opções começam a se afunilar a partir das 19h, quando a maior parte do comércio fecha as portas.  Até as 22h, os caxienses ainda podem recorrer a shoppings e supermercados. Salas de cinema e restaurantes raramente recebem clientes depois da meia-noite. 

Além de algumas farmácias e poucos postos de combustíveis, a reportagem apurou que pelo menos sete estabelecimentos permanecem com as portas abertas 24 horas. Está na relação até uma academia de ginástica na Rua Feijó Junior. A maioria começou a funcionar este ano. É um avanço. Localizados em diferentes pontos da cidade, apostam nas madrugadas para atender a esta lacuna do mercado. 

Pioneiro no ramo, Vicente Arnhold, proprietário da Fruti Center (Fruteira Barcelona), no bairro Lourdes, conta que o negócio surgiu nas Olimpíadas de Barcelona, em 1992. No começo, só funcionava até a meia-noite. Desde 2008, atua 24 horas de domingo a domingo. O ponto virou referência na cidade. É possível encontrar de tudo por lá. Desde sacos de gelo até carne para um churrasco improvisado. 

— É  um pronto-socorro. Cheguei a vender 24 sacos de gelo em uma madrugada para um hospital fazer um transplante – lembra o empresário. 

Os desafios

CAXIAS DO SUL, RS, BRASIL, 24/09/2018Lojas que abrem 24h na cidade.Fruteira Barcelona no bairro Lourdes (Lucas Amorelli/Agência RBS)
Vicente Arnhold diz que é preciso ter variação de itens e pessoas de confiança trabalhando no negócioFoto: Lucas Amorelli / Agencia RBS

Manter o negócio funcionando 24 horas por dia não é uma tarefa fácil, e o custo operacional é alto. Para começar, é preciso ter pessoas de confiança trabalhando em equipes de três turnos.

— Tem que ter um vínculo familiar. Caso contrário, não funciona — orienta Arnhold. 

No seu negócio, ele assume o comando das 10h às 2h da madrugada. Nos demais turnos, passa o bastão para os quatro filhos. Atualmente, emprega 12 funcionários. Começou em uma pequena sala. Hoje, o espaço triplicou e pretende ampliar muito mais no ano que vem.

— Conquistei meu espaço. As pessoas sabem que a Barcelona está sempre aberta e que podem encontrar de tudo por aqui. 

Quase tudo mesmo, inclusive itens para velórios. É um ponto importante e que precisa ser considerado para o negócio funcionar.

— Ou tem de tudo, ou não tem nada — ensina. 

Outro fator que deve ser previsto é a segurança. Não dá para contar somente com o policiamento público. É preciso contratar seguranças particulares.

— Em um único assalto, perdi R$ 80 mil — lamenta. 

CAXIAS DO SUL, RS, BRASIL, 24/09/2018Lojas que abrem 24h na cidade.Mercado no bairro São Leopoldo (Lucas Amorelli/Agência RBS)
Sacolão Dia e Noite da São lepoldoFoto: Lucas Amorelli / Agencia RBS

Dá até fila nas madrugadas

Na região sul de Caxias, dois locais estão à disposição dos caxienses durante 24 horas. O Sacolão Dia e Noite da Avenida São Leopoldo começou a funcionar há menos de seis meses e, em algumas madrugadas, tem até fila para comprar, segundo a gerente Maikely Rebelatto. O diferencial do estabelecimento, informa ela, é o preço. Os valores dos produtos cobrados durante o dia são os mesmos da madrugada.  

—Temos clientes fixos, que saem do trabalho e passam por aqui para comprar bebidas e itens para o café da manhã — informa.

Outros param por lá para fazer um lanche, já que o espaço oferece bufê de cachorro-quente, à la minuta e sorvetes. 

Por lá,  26 funcionários se dividem em três turnos para atender à freguesia das madrugadas. Além da segurança pública com a Brigada Militar, a direção contratou uma empresa de segurança que reforça o policiamento.

— Tá valendo a pena. É um serviço essencial para uma cidade do porte de Caxias do Sul — reforça Maikely.

Caxias precisa

O Komilão Lanches está no mercado da gastronomia caxiense há 41 anos. Em 2001, resolveu manter as portas abertas 24 horas às quintas, sextas de sábados. Funcionou. Desde 2016, atende em tempo integral de terças a domingos. 

— Caxias precisa deste serviço — justifica Gabriela Corso, engenheira da alimentação e sócia do negócio.

Foi ela que convenceu o pai a ampliar o horário e o cardápio. Além dos tradicionais lanches, a casa dispõe de opções diferenciadas, como massas e pratos executivos. 

O Komilão emprega 40 funcionários. Já teve mais de 70. As vendas mais intensas ainda acontecem nos finais de semana. Mesmo assim, o negócio nos demais dias da semana compensa.

"É preciso mudar a mentalidade dos caxienses"

CAXIAS DO SUL, RS, BRASIL, 24/09/2018Lojas que abrem 24h na cidade.Restaurante Zanuzzi na Visconde (Lucas Amorelli/Agência RBS)
Restaurante Zanuzi da Visconde de Pelotas, no CentroFoto: Lucas Amorelli / Agencia RBS

A falta de opções de lazer  após a meia-noite fez Silvio Zanuz, proprietário do Restaurante Zanuzi, apostar no funcionamento integral, de domingo a domingo, em uma das unidades (a da Visconde de Pelotas). 

— Os clientes pediam. Era um anseio do público jovem. A aposta deu certo — comemora Zanuz. 

Ele garante que o movimento nas madrugadas está sendo muito bom. Tanto na telentrega como na presença física. A diversificação de opções foi a sacada para manter o faturamento. Além de bebidas, oferece de hambúrgueres a sopas. 

E avisa:

— Caxias precisa mudar a mentalidade. Moramos em uma cidade grande com mentalidade de cidade pequena.  

Foto:

Leia também
Passeio da Maria Fumaça, entre Bento e Carlos Barbosa, ganha roupagem diferenciada para Natal
Caxias tem mais de 180 novos casos de HIV em 2018
Medicação destinada a evitar a contaminação do HIV começará a ser distribuída em Caxias

 
 
 

Veja também

 
Pioneiro
Busca
clicRBS
Nova busca - outros