Liminar suspende licitação da Ceasa Serra - Economia - Pioneiro

Versão mobile

 

Justiça18/10/2018 | 19h25Atualizada em 18/10/2018 | 19h25

Liminar suspende licitação da Ceasa Serra

Boxistas reclamam do lance mínimo de R$ 8 mil para utilização dos espaços de vendas

Liminar suspende licitação da Ceasa Serra Felipe Nyland/Agencia RBS
Foto: Felipe Nyland / Agencia RBS
Pioneiro
Pioneiro

Uma liminar deferida na tarde desta quinta-feira (18) suspendeu o edital 02/2018, da Ceasa Serra, para a permissão de uso dos boxes para comércio de hortifrutigranjeiros. O ajuizamento da ação se deu após vários encontros dos boxistas e da Administradora de Consórcios Intermunicipais S.A. (Adcointer), mantenedora do espaço, com a  intermediação do vereador Alberto Meneguzzi (PSB). O certame estava previsto para acontecer hoje.

Leia mais:
Boxistas da Ceasa Serra definem como "absurdo" lance mínimo em licitação

A principal reclamação dos permissionários se refere ao lance mínimo para 24 boxistas continuarem utilizando os espaços, que passou de R$ 600  para R$ 8 mil. Segundo eles, esse aumento torna os negócios inviáveis.

A Adcointer  diz ter se baseado em processos licitatórios de diversas Ceasas do Brasil e nas exigências do Tribunal de Contas do Estado do Rio Grande do Sul. Foi solicitada uma audiência entre os comerciantes e a direção e o TCE-RS para esclarecer os pontos duvidosos. Diante da resposta negativa, a sugestão foi o ajuizamento.

A liminar dá um respiro para os boxistas, já que a licitação aconteceria na manhã de hoje, no auditório da Smapa. 

— É uma vitória dos comerciantes. Eles não são contrários ao edital, mas ao preço ter oscilado tanto. Aluguéis mais caros implicam em frutas e verduras mais caras também — destacou Meneguzzi.

Leia também:  
Manifestação de conselheiro tutelar sobre maconha repercute em Bento Gonçalves



 
Pioneiro
Busca
clicRBS
Nova busca - outros