Exportações de móveis crescem 8,9% em Bento Gonçalves - Economia - Pioneiro

Versão mobile

 

Polo Moveleiro10/10/2018 | 15h16Atualizada em 10/10/2018 | 15h16

Exportações de móveis crescem 8,9% em Bento Gonçalves

Incremento ocorreu de janeiro a setembro deste ano, com destaque para negociações na América do Sul e Arábia Saudita

Exportações de móveis crescem 8,9% em Bento Gonçalves /
Foto: Jeferson Soldi, divulgação

As exportações do polo moveleiro de Bento Gonçalves seguem puxando a curva de desempenho para índices positivos nesse ano. De janeiro a setembro o crescimento foi de 8,9%, em relação ao mesmo período de 2017, passando de US$ 26 para US$ 28 milhões.

O incremento no setor de Bento é superior ao do Estado, que teve fomento de 4,7% no período. Por outro lado,  ficou inferior ao do Brasil, em que as exportações de móveis subiram 11,5% de janeiro a setembro, com destaque para os Estados. Os dados são da Secretaria de Comércio Exterior do MDIC.

Apesar dos índices positivos, o diretor internacional do Sindicato das Indústrias do Mobiliário de Bento Gonçalves (Sindmóveis), Leonardo Dartora, pondera que o aumento de preços e custo de produção acaba anulando um crescimento real para a indústria moveleira de Bento Gonçalves.

 O setor tem sido impactado pelo aumento do frete, da energia elétrica e das chapas de MDF e MDP — essas com um reajuste entre 5% e 10%. Além disso, tem reajuste nos acessórios moveleiros precificados em dólar, o que aperta ainda mais a composição do preço dos móveis.

— Comemoramos os dados, mas há muito caminho até voltarmos aos patamares de 2010 e 2011, próximos a US$ 60 milhões anuais, e pré-crise financeira de 2008/09, quando o polo chegou a exportar mais de US$ 80 milhões anualmente — avalia Dartora


Principais mercados


Países como Colômbia e Estados Unidos ganharam posições entre os cinco principais destinos para os móveis de Bento Gonçalves, além da Arábia Saudita, Chile e Uruguai, com aumentos significativos nos embarques no período. Índia, Equador, Porto Rico e África do Sul também tiveram negociações importantes com o polo no período.

Por outro lado, mercados tradicionais, como a Argentina e Paraguai, estão perdendo espaço ao longo do ano, especialmente devido aos problemas econômicos e cambiais enfrentados no país argentino.


DESTINOS

1. Uruguai

2. Peru

3. Chile

4. Colômbia

5. Estados Unidos

6. Argentina

7. Paraguai

8. México

9. Árabia Saudita

10. Panamá


Leia também:
Colégio Mutirão anuncia encerramento das atividades em Caxias
Comerciantes reclamam da venda ilegal de produtos em Caxias: "cada vez pior"





 
 
 

Veja também

 
Pioneiro
Busca
clicRBS
Nova busca - outros