Agroindústrias de Caxias do Sul buscam certificação para vender em todo o Brasil - Economia - Pioneiro

Versão mobile

 

Serra Gaúcha11/10/2018 | 11h53Atualizada em 11/10/2018 | 11h53

Agroindústrias de Caxias do Sul buscam certificação para vender em todo o Brasil

Serviço Municipal de Controle de Produtos de Origem Animal passará por vistoria na próxima semana

Agroindústrias de Caxias do Sul buscam certificação para vender em todo o Brasil Divulgação/Emater
Certificação buscada vale para produtos de origem animal, como queijos Foto: Divulgação / Emater

A Secretaria Municipal da Agricultura, Pecuária e Abastecimento de Caxias do Sul vai receber entre os dias 15 e 19 de outubro uma auditoria do Estado para avaliar o Serviço Municipal de Controle de Produtos de Origem Animal (COPAS-POA). O objetivo é conquistar certificação para poder vender os produtos para todo território nacional. 

Marília Lima de Campos, diretora do COPAS-POA, destaca que 27 agroindústrias cadastradas atualmente só podem vender em Caxias do Sul. A responsável pelo serviço municipal diz que ele vem se adequando para obter a liberação desde 2016, quando recebeu a primeira auditoria.

Leia mais
Caxias do Sul não tem mais produtores de queijo serrano em atividade
De 18 queijarias, 17 fecharam em Caxias
Decreto estadual que regulamenta o queijo Serrano está em vigor

— Foram apontadas várias irregularidades, como ausência de cronogramas, ações de fiscalização e tivemos que mudar legislação. No ano passado, foi feita uma nova auditoria e não fomos aprovados. Apresentamos um plano de melhorias, com adequações nos procedimentos de fiscalização e agora estávamos tentando novamente —explica Marília.

Além do próprio serviço de controle municipal, quatro estabelecimentos, que tem interesse em obter essa certificação para vender em todo o país, também serão vistoriados na próxima semana. São dois estabelecimentos que trabalham como entrepostos de fatiados, uma granja avícola e uma queijaria.

— É um pedido dos estabelecimentos que querem comercializar fora do município e aumentar mercado de atuação. Muitos querem vender para redes que têm lojas em outros Estados — acrescenta a diretora do serviço.

A previsão é de que na próxima sexta, a reunião final já indique o parecer com o resultado da auditoria. A certificação vale para produtos de origem animal, como salames, queijos, ovos e mel. Os produtos de origem vegetal são registrados pela Vigilância Sanitária e já podem ser comercializados em todo o Brasil.

Leia mais
Impasse na licitação dos boxes da Ceasa Serra
Exportações de móveis crescem 8,9% em Bento Gonçalves

 
 
 

Veja também

 
Pioneiro
Busca
clicRBS
Nova busca - outros