Produtores comemoram alta na venda de vinhos, durante a Wine South America, em Bento Gonçalves - Economia - Pioneiro

Versão mobile

 

Vitivinicultura27/09/2018 | 20h26Atualizada em 28/09/2018 | 09h48

Produtores comemoram alta na venda de vinhos, durante a Wine South America, em Bento Gonçalves

Clima na feira realizada em Bento Gonçalves é de otimismo, já que os negócios das vinícolas nacionais cresceram 2,46% de janeiro a agosto deste ano

Produtores comemoram alta na venda de vinhos, durante a Wine South America, em Bento Gonçalves Felipe Nyland/Agencia RBS
Eduardo Valduga diz que é necessário tornar o vinho ainda mais acessível Foto: Felipe Nyland / Agencia RBS

Os bons negócios no setor vinícola estão sendo comemorados na Wine South America – Feira Internacional do Vinho, que acontece até amanhã em Bento Gonçalves. Além de ser um evento de oportunidades, mostra o potencial da Serra. 

A safra deste ano rendeu 322 milhões de litros. As vendas também reagiram. De janeiro a agosto, os negócios no setor cresceram 2,46%, sendo que o forte das vendas estão concentradas no último trimestre. A estimativa é crescer entre 15% e 20% no ano, segundo o gerente de promoção do o Instituto Brasileiro do Vinho (Ibravin), Diego Bertolini, que garante que a feira está sendo realizada no momento certo.

– 80% dos vinhos brasileiros estão aqui. Por aqui o clima é de otimismo – ressalta. 

Leia também:
Brisa e Mariani selam fusão no comércio de calçados de Caxias do Sul
Vinho de mesa, sim!
Videira mais antiga do mundo é plantada em Bento Gonçalves

Por ser a primeira edição, os organizadores ainda não arriscam uma estimativa de negócios, mas a expectativa de promover a maior região produtora de vinhos do país está se concretizando. Cerca de 10 mil visitantes devem passar pelo Parque de Eventos. 

A feira abre espaço também para empresas de pequeno porte. Oportunidade que a Vinícola Santini, localizada em Vila Cristina, em Caxias do Sul, está agarrando com todas as forças para adquirir conhecimento e tornar seus vinhos e sucos conhecidos. 

Fundada por descendentes de italianos em 1986, produz cerca de 700 mil litros por ano, quer investir no enoturismo e se projetar para o mercado internacional. O supervisor de produção Douglas Rafael Santini garante que a feira está abrindo um importante caminho para a pequena vinícola se desenvolver.  Na feira, apresenta o suco L’América Sul, o carro chefe da empresa.

– Estamos surpresos com o retorno – destaca Santini.

Expositores proporcionam experiências únicas

O enoturismo é um segmento que tem convidado as vinícolas a se reinventar enquanto negócio – com o objetivo combinado de atrair público e, para eles, mostrar os diferenciais de seus produtos de formas criativas. A Cooperativa Vinícola Garibaldi apresenta, em seu estande a Taça & Trufa, uma harmonização de espumantes, vinhos e chocolates.  Na vinícola, os turistas podem vivenciar a degustação às cegas. Eles experimentam os produtos de olhos cobertos, aguçando os sentidos do olfato e paladar.

– A proposta é criar novas experiências aos visitantes – ressalta o gerente de marketing da vinícola,  Maiquel Vignatti.

Ações como essas permitiram que a Garibaldi crescesse 12% no faturamento no primeiro semestre de 2018, no comparativo com igual período do ano passado.  A degustação diferenciada também vem ao encontro da proposta de simplificar o consumo, mostrando que bebidas derivadas de uva podem, sim, fazer parte do dia a dia, em quaisquer situações.Com faturamento de R$ 150 milhões, a Garibaldi está lançando na feira um espumante demi-seco rosé. Só existem dois no mercado nesta categoria. Até o final do ano também vai lançar espumante biodinâmicos brasileiros com a certificação internacional Demeter.  A comercialização dos espumantes da vinícola, aliás, cresceu 50% este ano. 

No espaço da Famiglia Valduga, de Bento Gonçalves, o foco são os produtos ícones para o mercado nacional.

– Tem um potencial imenso a ser desenvolvido. Temos que tornar o vinho mais acessível – diz o diretor Eduardo Valduga.

Primeiro vinho de ânfora

 BENTO GONÇALVES, RS, BRASIL 27/09/20182º dia da Wine South America, a Feira Internacional do vinho. (Felipe Nyland/Agência RBS)
Vinícola Lidio Carraro produziu bebida a partir de um corte de três variedades de uvaFoto: Felipe Nyland / Agencia RBS

O primeiro vinho de ânfora do Brasil está sendo lançado na Wine South America pela vinícola Lidio Carraro. O lote chega com 1,2 mil garrafas de um corte composto por três variedades de uva, elaboradas nas duas primeiras ânforas feitas com argila da propriedade da Lidio Carraro. Várias já foram comercializadas na feira.

O projeto é inédito no Brasil e chega com a proposta de oferecer um vinho único e surpreendente, fermentado em recipientes de terracota – cerâmica  – produzidos com a argila do solo da propriedade da Lidio Carraro em Encruzilhada do Sul, Serra do Sudeste Gaúcho. O vinho da Safra 2018 é um corte das variedades Merlot, Pinot Noir e Nebbiolo e expressa a filosofia purista da vinícola instalada no Vale dos Vinhedos. 

 
Pioneiro
Busca
clicRBS
Nova busca - outros