Caxias do Sul sedia clube de assinaturas de gravatas - Economia - Pioneiro

Versão mobile

 

Caixa-Forte12/09/2018 | 08h00Atualizada em 12/09/2018 | 08h00

Caxias do Sul sedia clube de assinaturas de gravatas

O assinante recebe uma gravata diferente por mês, sem saber o modelo até abrir a embalagem, já que "a surpresa faz parte do negócio" 

Caxias do Sul sedia clube de assinaturas de gravatas Rafael Sartor/divulgação
Após três dias e três noites listando o que poderia oferecer aos futuros assinantes, Mauro Monte Costa teve a ideia de criar o primeiro clube premium de gravatas do Brasil Foto: Rafael Sartor / divulgação

Porto-alegrense radicado há 13 anos em Caxias do Sul, Mauro Monte Costa (foto) está dando o nó num novo nicho de mercado: o Club Tie – um clube de assinatura de gravatas. O engenheiro civil de 42 anos garimpava um negócio fora do ramo da construção civil para investir. De preferência, seguindo a tendência mundial de produtos por assinatura. Após três dias e três noites listando o que poderia oferecer aos futuros assinantes, veio a ideia do primeiro clube premium de gravatas do Brasil.

O assinante recebe uma gravata diferente por mês, sem saber o modelo até abrir a embalagem, já que “a surpresa faz parte do negócio.” 

São dois planos: o Diamante (R$ 259,90 ao mês), envolvendo gravatas de pura seda feitas a mão, e o Ouro (R$ 89,90), com peças em tecidos sintéticos, linho e algodão. As gravatas são exclusivas, pensadas e desenvolvidas por uma equipe de curadoria de moda. No mundo, marcas renomadas como a Hermès já colocaram essa ideia em prática. 

Até o momento, foram investidos R$ 60 mil no  Club Tie, para estruturar o site e criar a empresa. O número de clubes de assinatura quase triplicou no Brasil. Em 2014, eram 300 empresas. Hoje, são mais de 800. Nos Estados Unidos, esse filão já fatura US$ 10 bilhões por ano. 

 
 
 

Veja também

 
Pioneiro
Busca
clicRBS
Nova busca - outros