Quando nem tudo é culpa da crise - Economia - Pioneiro

Versão mobile

 

Caixa-Forte24/08/2018 | 09h10Atualizada em 24/08/2018 | 09h10

Quando nem tudo é culpa da crise

Algumas grandes redes de comércio expõem placas enormes com preços "promocionais" frente a produtos que, depois, junto ao caixa, apresentam valores superiores 

Criar ações para fidelizar clientes é mais do que apenas um ato de simpatia: trata-se de postura vital para sobreviver em tempos de timidez econômica e em meio a um mercado cada vez mais competitivo. 

Alguns pontos de venda de botijões de gás de cozinha em Caxias, por exemplo, apostam na fidelização oferecendo aos consumidores cartelas de compra, que permitem obter um desconto de R$ 10 na aquisição do terceiro frasco. Ganham todos: clientes com o desconto e o comerciante com a garantia e o aumento nas vendas. 

Na contramão, algumas grandes redes de comércio insistem em persistir em erros grosseiros (e ilegais) na tentativa de enganar o consumidor: expõem placas enormes com preços “promocionais” frente a produtos que, depois, junto ao caixa, apresentam valores superiores. 

Consumidor não gosta de ser ridicularizado e passado para trás e, com razão, acaba se afastando de lugares com esse tipo de postura irregular. Depois, quando fecham, nem tudo é culpa da “crise”...

 
 
 

Veja também

 
Pioneiro
Busca
clicRBS
Nova busca - outros