"Saímos do fundo do poço, mas não do poço", diz economista da Farsul, em Caxias  - Economia - Pioneiro

Versão mobile

 

Caixa-Forte31/07/2018 | 17h04

"Saímos do fundo do poço, mas não do poço", diz economista da Farsul, em Caxias 

Com menor número de participantes do que tradicionalmente, a reunião-almoço da CIC de Caxias, nesta segunda-feira, foi uma aula sobre conjuntura econômica

"Saímos do fundo do poço, mas não do poço", diz economista da Farsul, em Caxias  Antonio Valiente/divulgação
Foto: Antonio Valiente / divulgação

 Quem foi ao evento esperando um bate-papo sobre o cenário do agronegócio – tema da palestra – surpreendeu-se com a visão macro apresentada pelo economista-chefe da Federação da Agricultura do Estado (Farsul), Antônio da Luz, passeando por gestão pública, eleições, negócios, taxa de juros, dólar, inflação. A seguir, algumas percepções do economista que merecem ser compartilhadas:
- Talvez estejamos definindo as próximas décadas nessas eleições.
- O Brasil está ficando para trás.
- Saímos do fundo do poço, mas não do poço. Temos muito ainda a recuperar. 
-  O essencial não é mirar um ou outro setor, mas garantir um ambiente de negócios saudável para todos crescerem.
-  O crescimento econômico ocorre em águas calmas, não turbulentas.
-  A taxa de juros brasileira é ainda elevada se comparada a de outros países.
-  O que não investimos hoje, deixaremos de crescer amanhã. 
-  Se queremos exportar mais, precisamos importar mais. O Brasil é um país muito fechado.
-  A sociedade brasileira é imatura e infantil.
- O mercado está chacoalhado pelo câmbio e há inúmeras incertezas nas commodities, em função da disputa comercial entre Estados Unidos e China. 

Leia também:
MDB ganha apoio do PR para reeleição de Sartori
Um ano após danos na pista, recuperação da RS-431, na Serra, é concluída

 
 
 

Veja também

 
Pioneiro
Busca
clicRBS
Nova busca - outros