Reajuste do gás chega às revendas de Caxias - Economia - Pioneiro

Versão mobile

 

Teu bolso06/07/2018 | 16h18Atualizada em 06/07/2018 | 16h18

Reajuste do gás chega às revendas de Caxias

Botijão de 13 quilos varia entre R$ 70 e R$ 78 nos pontos de entrega de Caxias

Reajuste do gás chega às revendas de Caxias Marcelo Casagrande/Agencia RBS
Foto: Marcelo Casagrande / Agencia RBS
Pioneiro
Pioneiro

O aumento de 4,4% do gás de cozinha nas refinarias anunciado na última quarta-feira pela Petrobras já chegou na maioria das revendas de Caxias do Sul. Pesquisa realizada pelo Pioneiro na tarde desta sexta-feira constatou que o aumento médio foi de R$ 5 no botijão de 13 quilos _ cerca de 7%. Nas nove lojas pesquisadas o preço varia de R$ 70 a R$ 78 (incluindo a telentrega). 

As que resolveram segurar o preço, devem fazê-lo na próxima segunda-feira, quando chegam as novas cargas do combustível. É o Caso da Ultragaz do bairro Fátima. A gerente Lore Silveira prevê um reajuste de 4% a 5%. Com isso, o valor deve subir de R$ 70 para R$ 73. A Liquigás do bairro Pioneiro também resolveu segurar o preço.

— Ainda temos estoque. Só vamos repassar a partir da próxima carga, que deve chegar na próxima segunda-feira — explica o proprietário Ronaldo de Lima. 

Reajuste trimestral

O gás de cozinha começou a ter reajuste trimestral em janeiro deste ano, “para suavizar os repasses da volatilidade dos preços ocorridos no mercado internacional para o preço doméstico”, disse a Petrobras na época. Em janeiro, o valor do botijão foi fixado em R$ 23,16. Depois, em 5 de abril caiu para R$ 22,13. E desde quinta-feira subiu para R$ 23,10.

Segundo a estatal, caso fosse repassar para o preço do produto as variações do dólar e das cotações do GLP no mercado internacional registradas no último trimestre, o aumento teria de ser acima de 20%. No período, o dólar subiu 16% e a cotação internacional, 22,9%.

A política de reajuste do GLP permite, porém, compensar aumentos de custos ao longo do ano, reduzindo a volatilidade do preço do gás de cozinha. No acumulado do ano, o GLP residencial registra uma queda de 5,2% em relação ao preço de dezembro de 2017. Alguns setores do governo defendem que o governo adote uma política de subsídio para as famílias de baixa renda para aliviar o custo do produto no orçamento familiar.

O Palácio do Planalto chegou a avaliar o repasse de um valor fixo para as famílias beneficiadas pelo programa Bolsa Família, mas a proposta não prosperou.


Foto:

Leia também:  
Preço do gás de cozinha subirá nas refinarias a partir desta quinta
Gasolina volta a subir em Caxias do Sul




 
 
 

Veja também

 
Pioneiro
Busca
clicRBS
Nova busca - outros