O impacto da crise argentina, do embargo russo e da greve dos caminhoneiros nas exportações gaúchas  - Economia - Pioneiro

Versão mobile

 

Caixa-Forte14/07/2018 | 13h25Atualizada em 14/07/2018 | 13h25

O impacto da crise argentina, do embargo russo e da greve dos caminhoneiros nas exportações gaúchas 

Em relação ao 2º trimestre do ano passado, os embarques da indústria do Estado caíram 7,5%, para US$ 2,9 bilhões

O dólar valorizado impulsiona as exportações gaúchas? Sim, mas não foi o que se verificou no balanço do comércio externo de abril a junho deste ano. Em relação ao 2º trimestre do ano passado, os embarques da indústria do Estado caíram 7,5%, para US$ 2,9 bilhões, revela estudo da Fiergs. 


Quais os motivos do baque? No contexto externo, a crise cambial na Argentina e a redução das vendas de carne suína provocada pelo embargo da Rússia impactaram as exportações. Em ambiente interno, a greve dos caminhoneiros dificultou a logística e atrasou o envio de cargas.

A paralisação dos transportadores retraiu em 8,7% o volume de cargas embarcadas pelo Porto de Rio Grande entre maio e junho, representando 417 mil toneladas a menos. Já a exportação de carne suína para os russos caiu 56,6% em função do embargo.

O setor de máquinas e equipamentos gaúcho, com forte participação da Serra, reduziu os embarques em 15,7% no segundo trimestre. A China foi o principal destino das exportações do RS no período, com um crescimento de 9,9%, atingindo US$ 1,9 bilhão, tendo a soja como principal produto. Apesar das dificuldades internas, a Argentina continua em segundo lugar no ranking, com US$ 439,7 milhões, seguida pelos Estados Unidos.

 
Pioneiro
Busca
clicRBS
Nova busca - outros