O antigo dilema dos ambulantes no Centro de Caxias do Sul - Economia - Pioneiro

Versão mobile

 

Caixa-Forte10/07/2018 | 07h00Atualizada em 10/07/2018 | 07h00

O antigo dilema dos ambulantes no Centro de Caxias do Sul

Empresários consideram a concorrência desleal, uma vez que pagam impostos e geram empregos, e pedem soluções à prefeitura

O antigo dilema dos ambulantes no Centro de Caxias do Sul Porthus Junior/Agencia RBS
Produtos ficam expostos em calçadas de pontos estratégicos, como a Avenida Júlio de Castilhos Foto: Porthus Junior / Agencia RBS

O comércio caxiense volta a reclamar de um problema crônico no Centro de Caxias: a presença constante de ambulantes em calçadas de pontos estratégicos, como a Avenida Júlio de Castilhos, impedindo, inclusive, que o consumidor se aproxime de vitrines e acessos a lojas.

Empresários consideram a concorrência desleal, uma vez que pagam impostos e geram empregos. O dilema não é novo. É recorrente, e voltou a pautar uma audiência, na última semana, entre a diretoria do Sindilojas Caxias e o prefeito Daniel Guerra. Entre os produtos vendidos de forma informal estariam itens piratas, como CDs e camisetas da Seleção Brasileira, além de roupas e tênis falsificados. Foram delineadas ações de fiscalização, cujos resultados serão avaliados em 30 dias. 

A chegada nos últimos anos de senegaleses e haitianos intensificou esse drama. Com a escassez de mão de obra, fica difícil absorvê-los no mercado de trabalho. É um tema delicado, que causa prejuízos às lojas estabelecidas, e exige políticas públicas mais intensas. O consumidor, não raro, sensibiliza-se com os imigrantes.  

 
 
 

Veja também

 
Pioneiro
Busca
clicRBS
Nova busca - outros