Lojistas de Caxias amargam baixas nas vendas em dias de jogo - Economia - Pioneiro

Versão mobile

 

Comércio02/07/2018 | 18h17Atualizada em 02/07/2018 | 18h55

Lojistas de Caxias amargam baixas nas vendas em dias de jogo

Queda no movimento passa de 50% quando o Brasil entra em campo

Lojistas de Caxias amargam baixas nas vendas em dias de jogo Diogo Sallaberry/Agencia RBS
Verena Gauer lamenta queda nos negócios em dia de jogo do Brasil Foto: Diogo Sallaberry / Agencia RBS

Enquanto uns comemoram, outros amargam perdas no faturamento. Os dias de jogos do Brasil na Copa do Mundo tem deixado  lojistas de Caxias do Sul amargurados. A manhã desta segunda-feira, por exemplo, foi praticamente perdida no que se refere aos negócios. As lojas ficaram completamente vazias no primeiro dia da semana. E deve se repetir no último dia útil da semana, sexta-feira, quando o Brasil volta a campo para disputar as quartas de final do campeonato mundial.

— As vendas caem até 70% em dias de jogo — reclama Verena Carmem Gauer,  gerente de uma loja de malhas no bairro São Pelegrino. 

O comércio caxiense ainda não conseguiu se recuperar da crise que atingiu o município nos últimos três anos. Neste período,  ainda amarga perdas acima de 40%. Em maio, o setor cresceu 3% em relação a abril. Mas se comparado com o mesmo mês do ano passado, o recuo foi de 4,3%. O atraso da chegada do frio influenciou no movimento. Em junho, as temperaturas baixaram, mas não o suficiente para os lojistas festejarem.

—Estamos nos mantendo — destaca Verena.

Sobre as datas dos próximos jogos, os lojistas preveem uma sexta-feira fraca, mesmo sendo uma semana de pagamento de salários.

— Atrapalha. E muito — diz a gerente de uma farmácia Denise Moreira.  

Ela informa que as vendas foram pelo menos 40% inferiores nesta segunda. E prevê uma queda maior na sexta, já que o jogo de Brasil X Bélgica vai acontecer às 15h. 

— Vai ser uma tarde perdida.

Vendas serão recuperadas, diz Sindilojas

Para o vice-presidente do Sindilojas, Gilmar Rossi, as vendas perdidas durante os jogos do Brasil devem ser recuperadas. Ele admite que a queda dos negócios em dias de jogos passa de 50%, mas quando o Brasil vence as partidas há um estímulo e a população pode voltar a comprar mais. 

Sobre a recuperação do setor, ele também está otimista.

— O clientes estão assustados, sem saber o certo o que vai acontecer. Mas isso deve mudar em breve — prevê.

Leia também:
Setor de transportes aposta cada vez mais em tecnologia embarcada
Turismo de eventos em Bento Gonçalves impulsiona economia local




 
Pioneiro
Busca
clicRBS
Nova busca - outros