Ibravin e Sebrae firmam convênio de R$ 5 milhões - Economia - Pioneiro

Versão mobile

 

Setor vinícola23/07/2018 | 15h26Atualizada em 23/07/2018 | 15h26

Ibravin e Sebrae firmam convênio de R$ 5 milhões

Investimentos na qualidade e no fortalecimento do setor no mercado interno até 2020

Ibravin e Sebrae firmam convênio de R$ 5 milhões /
Foto Dandy Marchetti, Ibravin, divulgação

O Instituto Brasileiro do Vinho (Ibravin) e o Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae) renovam na próxima sexta-feira o convênio para o projeto Valorização dos Vinhos Brasileiros. As entidades destinarão R$ 5 milhões para investimentos na qualificação da cadeia, a valorização da produção e o fortalecimento comercial do vinho brasileiro no mercado interno. A assinatura será realizada durante o evento Prospera Agro, na sede do Sebrae Nacional, em Brasília. 

Umas das novidades do plano de trabalho entre o Ibravin e o Sebrae é o incentivo à regularização de agricultores familiares como produtores de vinho colonial ou artesanal, enquadrados na Lei do Vinho Colonial, e o estímulo ao aumento da formalização de vitivinicultores de uva através da adesão ao Simples Nacional, que começou a vigorar para o setor neste ano. A expectativa é que mil produtores conheçam os benefícios do regime por meio de workshops online e presenciais e envios de informações.

Outra demanda inédita será o fortalecimento das Indicações Geográficas (IG) para os vinhos e espumantes nacionais, que atestam a vocação e a qualidade de determinada região para a elaboração de produtos específicos. Serão trabalhadas as seis certificações existentes no Brasil: as Indicações de Procedência Pinto Bandeira, Altos Montes, Vales da Uva Goethe, Monte Belo e Farroupilha e a Denominação de Origem Vale dos Vinhedos. Cem profissionais de seis regiões vinícolas e outros 100 produtores rurais devem ser mobilizados.

E mais, o Programa Alimentos Seguros (PAS) Uva para Processamento ampliará sua atuação para além do Rio Grande do Sul. Durante o ciclo, o PAS sensibilizará produtores e empresas de mais três estados para que participem do programa. Já o Qualidade na Taça, que capacita desde 2014 os profissionais de alimentação fora do lar no trabalho com rótulos brasileiros, promoverá neste biênio, além de iniciativas nas capitais estaduais, qualificações para os pequenos estabelecimentos do setor de bares e restaurantes em municípios do interior com foco em regiões turísticas.

A estimativa é de que, no Brasil, existam 1,1 mil vinícolas, sendo que 90% delas são micro e pequenas empresas, e que cerca de 200 mil pessoas estejam envolvidas com a cadeia da uva e do vinho. Só no Rio Grande do Sul, maior estado produtor do país, são 15 mil famílias ligadas diretamente com o setor. Por ano, a produção vinícola gaúcha movimenta cerca de R$ 2,5 bilhões.           


 NÚMEROS

* R$ 5 milhões destinados para qualificação da cadeia, valorização da produção e fortalecimento comercial      

* Sete estados prioritários para atuação (RS, SC, PR, SP, RJ, MG e PE), além do Distrito Federal          

* 200 estabelecimentos, 600 profissionais e 3,5 mil potenciais empreendedores de alimentação fora do lar serão capacitados pelo Qualidade na Taça

* Articulação com as unidades estaduais do Sebrae para ampliação do PAS Uva para Processamento

* Sensibilização de 1 mil produtores informais de vinho para adesão do Simples Nacional

* Mobilização de 60 pequenas vinícolas e outros 100 produtores rurais em ações de fortalecimento das IGs


Leia também:  
Exportação entra nos planos de micro e pequenas empresas da Serra



 
 
 

Veja também

 
Pioneiro
Busca
clicRBS
Nova busca - outros