Os reflexos da Copa do Mundo na economia brasileira - Economia - Pioneiro

Versão mobile

 

Caixa-Forte14/06/2018 | 15h48Atualizada em 14/06/2018 | 15h48

Os reflexos da Copa do Mundo na economia brasileira

Mundial interfere nos negócios. Indústria reclama da quebra de ritmo, mas há setores que se beneficiam  

Os reflexos da Copa do Mundo na economia brasileira Ricardo Chaves/Agencia RBS
A Copa do Mundo pode representar uma injeção de ânimo caso o Brasil brilhe nos campos e avance nas fases Foto: Ricardo Chaves / Agencia RBS

O clima de Copa do Mundo começou a contagiar o público nesta quinta-feira, quando as atenções do planeta voltam-se à Rússia. Qual o impacto da competição na economia brasileira e, claro, serrana? Há três linhas de pensamento:

1ª) A Copa do Mundo quebra o ritmo da produção nas indústrias e de retomada dos negócios, num momento em que o país ainda sofre os impactos da greve dos caminhoneiros.

2ª) O Mundial significa vendas extras para setores do comércio vinculados a artigos esportivos, além de bares que terão o movimento potencializado em dias de jogos.

3ª) Como a economia brasileira está em um período de baixa autoestima, em função de anos de retração nos negócios, desemprego e corrupção, a Copa do Mundo pode representar uma injeção de ânimo caso o Brasil brilhe nos campos e avance nas fases. Uma mudança no humor seria importante para driblar tempos de incertezas, que se aprofundarão em seguida, com as eleições.

 
 
 

Veja também

 
Pioneiro
Busca
clicRBS
Nova busca - outros