Empresário caxiense acusado de locaute sairá da prisão nesta terça-feira - Economia - Pioneiro

Versão mobile

 

Greve dos caminhoneiros04/06/2018 | 20h39Atualizada em 04/06/2018 | 21h01

Empresário caxiense acusado de locaute sairá da prisão nesta terça-feira

Vinicius Pellenz responderá em liberdade às acusações de crime contra a liberdade do trabalho, ameaça e associação para o crime

Empresário caxiense acusado de locaute sairá da prisão nesta terça-feira Facebook/Reprodução
Pellenz estava preso temporariamente pela Polícia Federal, em Porto Alegre Foto: Facebook / Reprodução

O empresário caxiense do ramo de transportes Vinicius Pellenz, detido pela Polícia Federal por suposta prática de locaute durante a greve dos caminhoneiros, será liberado à 0h01 desta terça-feira, quando se encerra o prazo da prisão temporária. Ele esteve preso durante cinco dias na superintendência da Polícia Federal, em Porto Alegre, e responderá em liberdade às acusações de crime contra a liberdade do trabalho, ameaça e associação para o crime.

O advogado de Pellenz, Lúcio  Santoro de Constantino, confirmou que a juíza da 5ª Vara Federal de Porto Alegre Maria Angélica Benites optou por não prorrogar a prisão por mais cinco dias, aceitando o pedido da defesa. Constantino disse que se reunirá com seu cliente nesta terça-feira para ajustar os próximos passos a serem dados.

A decisão vem após, na sexta-feira, a desembargadora federal Cláudia Cristina Cristofani, do Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF4), ter negado liminarmente o pedido de habeas corpus.

Leia mais:
Justiça Federal mantém prisão temporária de empresário gaúcho investigado por locaute 
Empresário de transportes é preso no RS por locaute
Locaute na greve dos caminhoneiros incluía pregos escondidos em laranjas e ameaças com armas


 
 
 

Veja também

 
Pioneiro
Busca
clicRBS
Nova busca - outros