Tramontina estuda parar por 10 dias fábrica de cutelaria de Carlos Barbosa - Economia - Pioneiro

Versão mobile

 

Caixa-Forte29/05/2018 | 16h36Atualizada em 29/05/2018 | 16h36

Tramontina estuda parar por 10 dias fábrica de cutelaria de Carlos Barbosa

Férias coletivas a 2,5 mil funcionários deve-se ao desabastecimento causado pela greve que compromete produção e entrega de mercadorias

Tramontina estuda parar por 10 dias fábrica de cutelaria de Carlos Barbosa Emmanuel Denauí/Divulgação
A unidade de cutelaria é a maior das 10 fábricas da centenária Tramontina no Brasil Foto: Emmanuel Denauí / Divulgação

A greve dos caminhoneiros, que transformou-se numa manifestação geral da população, já paralisou a produção de grandes empresas de Caxias, como Agrale, Marcopolo e Randon.

Com a falta de combustíveis, o que impacta no fornecimento de matérias-primas e na entrega de mercadorias, outras grandes companhias da Serra já cogitam parar na próxima semana.

A Tramontina, gigante na produção de equipamentos para o lar, estuda conceder 10 dias de férias coletivas aos 2,5 mil trabalhadores de sua unidade de cutelaria instalada em Carlos Barbosa. 

O formato de dispensa, a partir de segunda-feira, seria por antecipação de férias. 

A unidade de cutelaria é a maior das 10 fábricas da centenária Tramontina no Brasil. Por enquanto, só essa unidade está na mira da folga estendida. 

Além de utensílios de inox de cozinha (como facas), o grupo produz cortadores de grama, aparelhos de jardinagem, ferramentas, mobília, materiais elétricos e utensílios culinários (como panelas, latas de lixo, escorredores de louça e raladores).



 
 
 

Veja também

 
Pioneiro
Busca
clicRBS
Nova busca - outros