Frio melhora expectativa de ocupação em hotéis da Serra - Economia - Pioneiro

Versão mobile

 

Turismo23/05/2018 | 14h37

Frio melhora expectativa de ocupação em hotéis da Serra

Mesmo assim, desempenho econômico do setor no inverno ainda é incerto

Frio melhora expectativa de ocupação em hotéis da Serra Andréa Graiz/Agencia RBS
Na Região das Hortênsias, o presidente do Sindicato dos Hotéis, Fernando Boscardin, projeta uma ocupação no próximo fim de semana um pouco maior que nos finais de semana anteriores deste ano Foto: Andréa Graiz / Agencia RBS

Com a chegada do frio neste ano, a projeção é de incremento do número de leitos ocupados nos hotéis da Serra Gaúcha no fim de semana e no feriado prolongado de Corpus Christi. Em Cambará do Sul, onde o principal atrativo são os cânions dos parques dos Aparados da Serra e Serra Geral. As reservas estão próximas dos 80% para o feriadão, entre quinta-feira (31) e domingo (3). 

Conforme o presidente da Associação dos Empreendedores Turísticos de Cambará Do Sul (Aeturcs), Paulo Ferretti, o movimento não tem sido grande nos feriados, mas já se observa uma situação diferente agora. No período de inverno, além do frio, o tempo é mais favorável para uma melhor visibilidade na área dos cânions, com menor chance de neblina.

Na Região das Hortênsias, o presidente do Sindicato dos Hotéis, Fernando Boscardin, projeta uma ocupação no próximo fim de semana um pouco maior que nos finais de semana anteriores deste ano. Segundo ele, a média tem ficado entre 80% e 90% e agora deve ficar entre 85% e 95%. Para o período de Corpus Christi, o número de hóspedes tem previsão de ficar próximo da lotação máxima, a exemplo do ano passado. São 14 mil leitos na área do sindicato, que abrange Gramado, Canela, Nova Petrópolis e São Francisco de Paula.

Boscardin afirma também que o desempenho do setor no inverno vai depender de como estiver a confiança do consumidor, que pode ser influenciada pelo período eleitoral, e também de como a Copa do Mundo poderá impactar o comportamento dos turistas. Na última Copa, no Brasil, o resultado foi o pior em 10 anos, quando muitas pessoas buscavam se deslocar para cidades onde os jogos ocorriam. Desta vez, como a competição é na Rússia, a situação deverá ser diferente.

Outro fator que pode ter interferência é o dólar; conforme Boscardin, a moeda norte-americana, até agora, não subiu o suficiente para que as pessoas se voltem mais para o turismo interno no Brasil. O presidente do sindicato ainda aponta que, para a confiança do consumidor, também tem influência a situação econômica, com diminuição da expectativa de aumento do PIB e o alto preço dos combustíveis. Para ele, se não houver uma medida efetiva do governo federal em relação a isso, o turismo pode acabar sendo impactado.

Na região Uva e Vinho, o Sindicato Empresarial de Gastronomia e Hotelaria (SEGH) projeta um incremento médio de 5% com a chegada do inverno nos 20 municípios abrangidos pela entidade, o que inclui o próximo final de semana, dedicado a Nossa Senhora de Caravaggio. Nos dois dias, o Santuário, em Farroupilha, espera receber mais de 100 mil visitantes. Já em Corpus Christi, a ocupação prevista na região é de 80%.

A diretora-executiva do SEGH, Marcia Ferronato, afirma que, apesar da expectativa de aumento da taxa em função do frio, não é possível "viver de suspiros". Os finais de semana e feriados historicamente são bons, mas ela relata que os demais dias, durante a semana, têm dado pouco retorno. Além do faturamento menor que o esperado após a crise dos últimos anos, Marcia explica que os hotéis absorveram custos que aumentaram, como a energia elétrica. Segundo a diretora do SEGH, os hotéis têm buscado alternativas, como eventos setoriais e parcerias para oferecer pacotes mais atrativos.

Leia também
Cerca de 100 mil fiéis de Caxias do Sul devem fazer o trajeto até o Santuário de Nossa Senhora de Caravaggio
Com mensalidades que partem de R$ 59, cursos a distancia já superam aulas presenciais em Caxias   

 
 
 

Veja também

 
Pioneiro
Busca
clicRBS
Nova busca - outros