Frio impacta nas vendas do Dia das Mães na Serra - Economia - Pioneiro

Versão mobile

 

Movimento menor  10/05/2018 | 14h20Atualizada em 10/05/2018 | 14h34

Frio impacta nas vendas do Dia das Mães na Serra

Itens de vestuário lideram intenções de compra e, em média, 40% dos produtos fabricados por malharias não foram vendidos

Frio impacta nas vendas do Dia das Mães na Serra Alan Pedro/Agencia RBS
esquisa da Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL) de Caxias do Sul feita neste ano aponta que os itens de vestuário lideram as intenções de consumo de 48% dos entrevistados Foto: Alan Pedro / Agencia RBS

A Associação de Centro de Compras da Serra Gaúcha (Acecors) trabalha com uma estimativa das perdas de malharias e shoppings de atacado que chega a uma média de 40% dos produtos fabricados para a venda neste período do ano que ainda não foram vendidos. Mesmo com a proximidade do Dia das Mães, que torna maio o mês de maior movimento, as excursões que chegavam aos centros de compras de Farroupilha nos últimos dias vinham com o número de lojistas reduzido em praticamente a metade, segundo o presidente da Acecors, Paulo Dalzochio:

— Ônibus que vinham com 20 ou 30 passageiros, chegam com 10 ou 12 e ainda estão reduzindo o volume de compra. Eles estão comprando em câmera lenta com medo de novamente sobrar mercadoria, como ocorreu no ano passado. 

Representante da associação que congrega 30 empresas, Dalzochio acredita que se o frio chegar nos próximos dias, como aponta a previsão para o Dia dos Mães, e não voltar a esquentar, é possível que o setor se recupere das perdas.

— Tem gente apavorada, mas de uma forma geral todos estão na expectativa de que com a chegada do frio vão vender bem — aguarda o presidente da Acecors.

O Festimalha de Nova Petrópolis que tem expectativa de vender 30% da produção anual de malhas da cidade vai ter uma nova reunião na noite desta quinta-feira (10) para tratar sobre a redução de compras e a possibilidade de prorrogação da feira que vai até 3 de junho. Ainda não se tem o balanço de perdas de faturamento, mas o movimento nos corredores é bem menor. Os primeiros 11 dias de feira tiveram 20 mil visitantes. No ano passado, esse mesmo número foi alcançado nos primeiros quatro dias.  

Pesquisa da Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL) de Caxias do Sul feita neste ano aponta que os itens de vestuário lideram as intenções de consumo de 48% dos entrevistados. O presidente da entidade, Ivonei Pioner, destaca que no varejo da cidade o impacto da falta de frio também é sentido porque os itens de maior valor agregado acabam sendo substituídos por outros. Mas a expectativa é de que, ainda assim, o movimento intenso nas ruas da cidade, nesta semana que antecede a data comemorativa, resulte em crescimento de 5% nas vendas em relação ao ano passado até pela melhora da economia. A pesquisa apontou que o ticket médio do caxiense é de R$ 143 por presente, mas o levantamento prevê também que o morador gaste um pouco mais, comprando mais de um presente.


 
 
 

Veja também

 
Pioneiro
Busca
clicRBS
Nova busca - outros