Estudo de impacto de trânsito para instalação de Havan em Caxias deve ser concluído em duas semanas - Economia - Pioneiro

Versão mobile

 

Projeto17/05/2018 | 08h00Atualizada em 17/05/2018 | 08h00

Estudo de impacto de trânsito para instalação de Havan em Caxias deve ser concluído em duas semanas

Empresa contratada por Havan realiza últimas análises para avaliar possíveis necessidades de mudanças em trecho da região do Desvio Rizzo

Estudo de impacto de trânsito para instalação de Havan em Caxias deve ser concluído em duas semanas Marcelo Casagrande/Agencia RBS
Foto: Marcelo Casagrande / Agencia RBS
Pioneiro
Pioneiro

Uma importante etapa antes do início efetivo das obras de instalação da Havan em Caxias deve ser concluída ainda neste mês. O estudo de impacto de trânsito, que projetará a absorção do sistema viário na região de acesso ao bairro Desvio Rizzo após a implantação da loja, está em andamento e deve ser finalizado nas próximas semanas. O trabalho é realizado nas proximidades do local onde a unidade da Havan será construída, na RSC-453, no terreno da antiga Companhia Estadual de Silos e Armazéns (Cesa).

Conforme Márcio Bortolamedi, proprietário da Bortolamedi Engenharia, empresa contratada para elaborar o projeto, no procedimento são analisados os horários de maior movimentação de carros, a capacidade da rodovia e os acessos mais utilizados. A partir disso, são feitos apontamentos quanto à possibilidade de intervenções para não comprometer o trânsito na região.

— Fizemos acompanhamento via câmeras de videomonitoramento. Iniciamos a elaboração do estudo há cerca de um mês e devemos finalizá-lo nos próximos 15 dias — informa Bortolamedi.

Leia mais:
Inauguração da Havan em Caxias do Sul fica para setembro
Para estrutura da Cesa, em Caxias, tentativa de preservação chegou tarde demais
Ciro Fabres: Vinda da Havan para Caxias do Sul exigirá engenharia na RSC-453

Após elaboração do EIT, o estudo será encaminhado para análise da Secretaria Municipal de Trânsito de Caxias, que fará possíveis apontamentos ao projeto.

— A responsabilidade por esse estudo é da Havan, portanto, e dependemos disso para dar celeridade ao processo. Indicamos a eles os melhores pontos para contagem. Agora, nossa função será  analisar esse material e propor medidas mitigadoras para minimizar os impactos do trânsito naquela região — comenta o secretário Cristiano de Abreu Soares.

Com relação às preocupações diante do aumento considerável de volume de trânsito que a loja deve causar na região, ele afirma que a secretaria não especula sobre as possíveis alternativas, pois depende das proposições do próprio estudo.

— Vamos aproveitar a experiência técnica deles para depois propormos as nossas. Antes disso, é só especulação — ressalta o secretário.

Ainda assim, ele reconhece que o trecho já apresenta saturação e, portanto, pode depender de uma solução viária com o eventual aumento do fluxo de veículos.

— Precisamos analisar quais as ideias da empresa sobre o estacionamento, os acessos e também avaliar o quanto mais o trânsito naquela região suporta de movimentação — complementa.

Após analisar o estudo, o município também será intermediário em possíveis tratativas com o Departamento Autônomo de Estradas de Rodagem (Daer) para realizar intervenções viárias na região. Embora o envolvimento com a autarquia possa ser um empecilho para dar agilidade ao processo, segundo Márcio Bortolamedi, o Daer tem se mostrado bastante "solícito" em todo o processo e encaminhamentos até o momento.

Para prefeitura, expectativa para setembro se mantém

No final de abril, o presidente do grupo Havan Luciano Hang esteve em Caxias onde confirmou a expectativa de inaugurar a loja na cidade em setembro. Na ocasião, ele também se reuniu com o titular da Secretaria Municipal de Desenvolvimento Econômico, Trabalho e Emprego de Caxias, Emílio Andreazza, cuja pasta acompanha a instalação da Havan e da rede Stok Center. Segundo o secretário, até o momento, a prefeitura buscou desburocratizar o máximo de todos os processos que envolvem a vinda dos grupos.

 CAXIAS DO SUL, RS, BRASIL, 27/04/2018. Empresário Luciano Hang, visita o local onde será construída a loja Havan, em Caxias do Sul. (Porthus Junior/Agência RBS)
Demolição de estrutura da antiga Companhia Estadual de Silos e Armazéns (Cesa) iniciou em marçoFoto: Porthus Junior / Agencia RBS

— Não só a Havan e a Stok Center, mas nosso trabalho se dedica justamente a facilitar a entrada de todos os empreendimentos que retomem nosso potencial econômico — comenta.

Ele informa que a expectativa de abrir a loja em setembro só depende da empresa.

— O cronograma só depende deles. De nossa parte os encaminhamentos foram feitos. Nos resta aguardar o estudo de impacto de trânsito para liberar totalmente o início da atividades deles em Caxias — complementa.

Mesmo se o município propor soluções viárias à Havan, o secretário de Trânsito acredita que isso não necessariamente significará o atraso das obras.

— Podemos, quem sabe, fazer um acordo com a empresa no qual ela se comprometa a implantar as medidas mitigadoras que propusermos e com isso liberar a obra. Sem contar que o estudo (de impacto) é apenas uma projeção. Para sabermos como o trânsitos e comportará de fato, o empreendimento já tem de estar funcionando, portanto, essas questões não devem comprometer o andamento da instalação da loja — comenta Cristiano de Abreu Soares.

Feriados

Os impasses trabalhistas envolvendo futuros funcionários da Havan sobre a questão dos feriados será um dos temas da primeira rodada de negociações da convenção coletiva entre o Sindicato dos Empregados no Comércio (Sindicomerciários) de Caxias e o Sindicato do Comércio Varejista de Caxias do Sul (Sindilojas), que ocorre nesta sexta.

Leia também:
Carolina Bahia palestra na CIC Caxias
Ministro palestra em Encontro de Ferramentarias, em Caxias
Chegada do frio promete aquecer negócios no Festimalha em Nova Petrópolis
Sindicatos de Caxias amargam queda nas arrecadações

!-- contentFrom:cms -->
 
 
 

Veja também

 
Pioneiro
Busca
clicRBS
Nova busca - outros