Reajuste de 19,5% na conta de luz pode frear produção industrial na Serra Gaúcha - Economia - Pioneiro

Versão mobile

 

Seu bolso17/04/2018 | 18h45Atualizada em 17/04/2018 | 18h45

Reajuste de 19,5% na conta de luz pode frear produção industrial na Serra Gaúcha

Índice proposto pela Aneel é de 19,5%. Se aprovado, impacto da economia local será brutal, diz Conselho do Consumidor. Audiência vai discutir proposta na próxima quirta-feira

Reajuste de 19,5% na conta de luz pode frear produção industrial na Serra Gaúcha Porthus Junior/Agencia RBS
Foto: Porthus Junior / Agencia RBS

A conta da luz para empresas e consumidores da Serra Gaúcha pode ficar até 19,5% mais cara a partir de junho. Ontem,  a Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) aprovou a Quarta Revisão Tarifária Periódica da RGE Sul Distribuidora de Energia em que o aumento bateu a barreira dos 25% para indústrias e 21% para os consumidores residenciais e vai atingir 1,3 milhão usuários em 118 municípios das regiões metropolitana e centro oeste do Estado. Os reajustes entram em vigor amanhã.

Leia mais:
Empresários da Serra repudiam proposta de reajuste de quase 20% na conta de luz

Para os consumidores da Serra Gaúcha, o índice médio proposto é de 19,5% para vigorar a partir de junho. Uma mobilização organizada  pelo Conselho de Consumidores da RGE, no entanto,  pretende colocar um freio no reajuste. Na próxima quarta-feira, dia 25, sindicatos, federações, associações e câmaras de indústria, comércio e serviços e produção rural, além de representantes do poder público e consumidores residenciais se reúnem com um único objetivo: aquecer as turbinas para a Audiência Pública que discutirá a Revisão Tarifária na quinta, dia 26 para 255 municípios do Rio Grande do Sul.

A audiência é o momento para os consumidores apresentarem questionamentos e reivindicações no regramento que a Aneel estabelecerá para os próximos cinco anos na área atendida pela concessionária. Porém, diante do tempo restrito, precisa ser aproveitado de maneira adequada. Quando cogitado o índice de reajuste no final de março, vários empresários da região repudiaram a proposta, alegando o aumento de custos e possíveis demissões de trabalhadores.

— Se aprovado o reajuste, a economia de toda região vai sofrer um impacto brutal. O que está acontecendo hoje é resultado daquilo que foi discutido e aprovado em anos anteriores. Por isso é imprescindível a participação de todos os segmentos da sociedade no encontro, pois as regras da despesa com energia elétrica até 2023 estão em jogo —  destaca o presidente do Conselho de Consumidores da RGE, Claiton Gaieski Pires.


Redução de juros não é repassada pela Aneel

A entidade pretende esclarecer, por exemplo, a surpreendente mudança na fórmula de cálculo dos juros que remuneram os investimentos da distribuidora, por decisão da Aneel. Ao contrário do que se imaginava, diante das sucessivas quedas na taxa Selic, o percentual não foi reduzido para 7,5%, mas, pelo contrário, mantido em 8,09%. 

— Do ponto de vista da legalidade, é um movimento que precisa ser bem examinado, pois a Aneel descumpriu o próprio regulamento, ainda que decidindo de forma colegiada — observa Pires. 

Segundo o dirigente, ainda existe espaço para redução do aumento, mas vai depender da participação popular qualificada na audiência. 

— A energia elétrica tem peso significativo no custo de produção. Há impactos imediatos na competitividade das indústrias e por consequência, no desempenho do comércio e dos serviços. O Rio Grande do Sul se tornará ainda menos atrativo do que já é para investimentos externos —ressalta o presidente do Conselho de Consumidores da RGE. 

A RGE atende a 1,4 milhão de unidades consumidoras localizadas em 255 municípios do Rio Grande do Sul, entre eles Caxias do Sul.

PROGRAME-SE

Encontro preparatório parta a revisão tarifária

Quando: quarta-feira (25)

Horário: das 14h às 15h30

Onde: sede da RGE em Caxias do Sul (Sala Transformação) - Rua Mário de Boni, 1902, Bairro Floresta

Participação: gratuita

Informações: pelo e-mail conselhodeconsumidoresrge@cpfl.com.br


 Audiência pública para revisão tarifária

Quando: quinta-feira (26)

Horário: a partir das 8h30min

Onde: auditório da CIC de Caxias do Sul

Participação: gratuita

Informações: e-mail comunicacao2@cic-caxias.com.br ou pelo fone (54) 3218.8068, com Francine


Leia também:  
Especialista dá dicas para conseguir o primeiro emprego
Ciee Caxias tem 120 vagas disponíveis para estágio
Empresa caxiense forma e emprega 100 jovens
Como concorrer às 500 vagas que o Andreazza abrirá no decorrer de 2018




 
 
 

Veja também

 
Pioneiro
Busca
clicRBS
Nova busca - outros