Caxias do Sul  abriga 120 mil moradias, entre apartamentos e casas - Economia - Pioneiro

Versão mobile

 

Caixa-Forte11/03/2018 | 10h00Atualizada em 11/03/2018 | 10h00

Caxias do Sul  abriga 120 mil moradias, entre apartamentos e casas

Hoje o segmento é representado na cidade por 211 imobiliárias, mas em 2014, no pré-crise, o contingente era bem maior, de 380

Caxias do Sul  abriga 120 mil moradias, entre apartamentos e casas Roni Rigon/Agencia RBS
O cenário começa a se mostrar mais favorável e a expectativa é fechar 2018 com crescimento entre 3% e 4% nos negócios Foto: Roni Rigon / Agencia RBS

Após passar os últimos anos com queda ou estagnação nos negócios, o setor imobiliário caxiense percebe uma luz no horizonte.

O cenário começa a se mostrar mais favorável e a expectativa é fechar 2018 com crescimento entre 3% e 4% nos contratos. O número é tímido, mas é preciso entender a dinâmica do setor:

– Demoramos a entrar em crise e demoraremos a sair – expressa Fernando Gonçalves dos Reis, empresário caxiense que assume em evento na noite de 22 de março a presidência da Associação Brasileira do Mercado Imobiliário (ABMI).

Hoje o segmento é representado na cidade por 211 imobiliárias, mas em 2014, no pré-crise, o contingente era bem maior, de 380 empresas focadas em venda e aluguel de imóveis, além de administração de condomínios. Por que a queda?

– Muita gente entrou no mercado acreditando que seria um negócio de ganho fácil e rápido, sem preocupar-se com a perenidade da empresa – explica Reis, dizendo que, apesar da seleção natural do mercado, ainda há muita concorrência.

O estoque atual de imóveis residenciais à venda em Caxias é de 3,5 mil. Outro dado curioso: hoje a cidade abriga 120 mil moradias, incluindo apartamentos e casas (desses, 30 mil estão sob locação).

– Com a redução da taxa de juros, o investidor voltará a apostar em imóveis, pois diminui a rentabilidade em outras aplicações, como fundos de investimento – sintetiza.


 
Pioneiro
Busca
clicRBS
Nova busca - outros