Após morte de Raul Randon, Caxias do Sul fica órfã dos fundadores de suas principais empresas - Economia - Pioneiro

Versão mobile

 

Gestão19/03/2018 | 09h14Atualizada em 19/03/2018 | 09h31

Após morte de Raul Randon, Caxias do Sul fica órfã dos fundadores de suas principais empresas

Além de Randon, empresários como Paulo Bellini, Francisco Stedile e Abramo Eberle tornaram Caxias uma potência industrial

Após morte de Raul Randon, Caxias do Sul fica órfã dos fundadores de suas principais empresas Ricardo Wolffenbüttel/Agencia RBS
Bellini (E) e Randon (D) fundaram a Marcopolo e a Randon, respectivamente, no mesmo ano: 1949 Foto: Ricardo Wolffenbüttel / Agencia RBS

Com as mortes de Paulo Bellini, em junho de 2017, e de Raul Randon, em março deste ano, em menos de um ano Caxias do Sul ficou órfã das figuras que ajudaram a cidade a criar sua vocação industrial. Nesta lista, ao lado de Bellini e Randon, ainda constam nomes como Abramo Eberle e Francisco Stedile, falecidos em 1945 e 2006, respectivamente.

De diferentes épocas e com perfis distintos, os quatro empresários criaram companhias de grande porte e foram fundamentais para que Caxias se tornasse o segundo maior polo metalmecânico do Brasil. 

Confira o que significa a perda desses empreendedores para a cidade e o legado que eles deixam na reportagem do +Serra desta semana:


Leia também:
MPT abre inscrições para seleção pública de estagiários
Feirão vai ofertar quase 400 postos de trabalho na Serra
Feira em Bento apresenta móveis versáteis e funcionais


 
 
 

Veja também

 
Pioneiro
Busca
clicRBS
Nova busca - outros