O que se deve fazer para conseguir o primeiro emprego - Economia - Pioneiro

Mercado de trabalho14/02/2018 | 08h00Atualizada em 14/02/2018 | 13h27

O que se deve fazer para conseguir o primeiro emprego

Entre outras dicas, especialista destaca a importância do trabalho voluntário para ganhar experiência

O que se deve fazer para conseguir o primeiro emprego Marcelo Casagrande/Agencia RBS
Foto: Marcelo Casagrande / Agencia RBS

A disputa por uma vaga no mercado de trabalho continua acirrada e reflete diretamente nos jovens entre 18 e 24 anos. Pelo menos 12 milhões de jovens estão desempregados no país, segundo dados do IBGE. Em Caxias do Sul, 75%, ou 90 das 120 carteiras de trabalho encaminhadas por mês no Sine Caxias são de jovens nesta faixa-etária. Eles enfrentam uma maratona na busca pelo primeiro emprego. Quem acaba de concluir os estudos descobre que o diploma não é garantia de uma boa colocação profissional. Quando encontram a oportunidade, começa um desafio ainda maior: conquistá-la, o que depende de características que muitas vezes não são ensinadas nas salas de aula.

Leia também:
"O turismo é feito de detalhes"
Visitantes podem colher uvas diretamente dos parreirais na Serra 
Supermercado BIG, de Caxias, é condenado por violar direitos dos consumidores

É nesta etapa que entra uma palavra-chave: atitude. Na semana passada, a palestra de uma especialista no assunto na Faculdade e Escola técnica QI  de Caxias atraiu a atenção de dezenas de jovens. A palestrante Teresa Moraes relatou sua primeira experiência no mercado de trabalho e destacou a importância de ter atitude e do tempo que o jovem com idade entre 16 e 18 anos tem disponível para se preparar para esta empreitada. 

– É a fase de aprender, de fazer cursos técnicos. É a fase para descobrir para onde não ir – aponta a recrutadora e especialista em gestão de serviços.

Entre outras dicas, ela destacou a importância do trabalho voluntário para ganhar experiência. Ensinou como agir em uma entrevista e como montar um currículo que desperte a atenção do contratante. Mas, o mais importante é não desistir.

– Não desanime. Vá à luta. Trabalhe, mesmo que seja de graça.  Em troca vai ganhar experiência – ensina Teresa.

Seja diferente

Foi o que fez o jovem Pedro Buffon, 20 anos. Aos 18, foi ao Sine Caxias em busca de uma vaga. Foi informado que não tinha nada para seu perfil. Mas ele não desistiu. No mesmo dia, passou em dois supermercados e deixou seu currículo. A primeira entrevista aconteceu no mesmo dia. A segunda, uma semana depois. Agarrou a vaga com unhas e dentes. Continua empregado no mesmo supermercado até hoje, só que num cargo superior. E continua se especializando.

– Mostre o seu diferencial. O meu foi o inglês. Não desista, um dia as portas se abrem – orienta Buffon.

Sem ter medo de conseguir

A busca pelo primeiro emprego pode demorar meses. E quando acontece, pode descobrir que não é exatamente o que você quer.  Daniel dos Santos, 22, já tem uma história profissional. Trabalhou como voluntário, fez curso profissionalizante e conseguiu uma vaga na área da indústria. Três meses depois, se deu conta que não era o que queria. Deixou o emprego e foi em busca de outro. Conseguiu.

Trabalhou como técnico em manutenção de equipamentos odontológicos por um ano. Gostava da função, mas a empresa não assinava sua carteira de trabalho. Acabou sendo demitido.

Não desistiu. Determinado, investiu o dinheiro da rescisão em um curso técnico e tem certeza de uma nova chance. 

– Vou fazer o curso e buscar um estágio. Não tenho medo de concorrer a vagas. Tenho histórias no currículo. Vou conseguir, é só uma questão de tempo. 

Esta é a mensagem que Teresa deixa: acumule conhecimento, busque e conquiste.  

Como construir o currículo

1 - O currículo é o seu rótulo. Portanto, não permita que o recrutador fique no vácuo, ou seja, que ele não entenda o conhecimento que você tem.

2 - Detalhe suas experiências de conhecimento, seus cursos. Diga que tipo de atividade você estudou em um curso técnico, por exemplo.

3 - Diga o que você sabe fazer, mesmo que pareça insignificante. Às vezes, o detalhe garante a vaga.

Dicas da recrutadora de RH Teresa Moraes 

1 - Descubra o máximo possível sobre você mesmo (o que você gosta, o que é importante para você).

2 - Tenha atitude. Jamais diga: “Como vou ter experiência sem trabalhar?”.

3 - Adquira experiência. Trabalhe sem ganhar nada. Faça trabalhos voluntários – você pode ganhar muito valor em troca.

4 - Inspire-se em pessoas felizes com o seu trabalho e com boas histórias para contar.

5 - Faça acontecer – converse com pessoas experientes, fique atento às atividades que elas desenvolvem, seja curioso, procure saber tudo sobre a profissão que você quer.

6 - Faça cursos profissionalizantes e técnicos. Dos 16 aos 18 anos, é o período para você fazer esses cursos, se possível na área que quer e gosta.

7 - Se tiver oportunidade, faça intercâmbio – conheça outras culturas, aprenda um novo idioma, amadureça.

8 - Envolva-se com atividades extracurriculares – grêmio estudantil, comissões de formatura, gincanas, viagens de estudo.

9 - Posicione-se! Aprenda com qualquer oportunidade. Não precisa aceitar trabalhos que não queira. Saiba o que quer

10 - Aprenda com cada acontecimento! Entenda que receber um “não” ou passar por uma situação negativa faz parte do caminho para chegar onde você quer.

  A Missão RH tem um canal no youtube onde está compartilhando essas dicas! O nome do canal é VIVA SEU VALOR! 




 

Veja também

Pioneiro
Busca
clicRBS
Nova busca - outros