"Não tem mágica", diz dono de rede de postos sobre gasolina a R$ 3,75 em Caxias do Sul - Economia - Pioneiro

Versão mobile

 

Gasolina barata26/02/2018 | 11h32Atualizada em 26/02/2018 | 11h33

"Não tem mágica", diz dono de rede de postos sobre gasolina a R$ 3,75 em Caxias do Sul

Segundo Neco Argenta, distribuidoras estão subsidiando preços mais baixos. Procon investiga denúncia de dumping

"Não tem mágica", diz dono de rede de postos sobre gasolina a R$ 3,75 em Caxias do Sul Diogo Sallaberry/Agencia RBS
Último levantamento da ANP apresentava preço médio de compra de R$ 3,86 o litro Foto: Diogo Sallaberry / Agencia RBS

Como um posto de combustíveis de uma mesma rede do Estado consegue vender gasolina a R$ 4,39 o litro em Porto Alegre e a R$ 3,75 em Caxias do Sul? A resposta está no subsídio de distribuidoras apenas para um dos municípios, segundo o diretor-presidente da Rede SIM, Neco Argenta, que tem 130 postos no Sul do Brasil. Conforme o empresário, "não existe mágica", já que o preço menor na cidade da Serra é fruto de negociação com as distribuidoras e também depende de as revendas abrirem mão da margem de lucro.

— Essas práticas de preços diferenciados acontecem no mundo inteiro. Nós não temos a capacidade de vender produto com o menor preço que pagamos, mesmo com a rede de mais 100 postos e a força da marca. O que acontece em momentos específicos como esse é que as distribuidoras que têm condição diferenciada subsidiam essa atuação _ afirmou o dono da rede em entrevista ao programa Gaúcha Atualidade, da Rádio Gaúcha. 

Leia mais
Procon de Caxias do Sul investiga dumping em postos de gasolina
Por que a gasolina chega ao consumidor três vezes mais cara no RS
Petrobras passa a divulgar quanto cobra pela gasolina e pelo diesel nas refinarias

O último levantamento da pesquisa da Agência Nacional do Petróleo (ANP) para Caxias, no dia 17 de fevereiro, apontou o preço de compra dos postos de combustíveis de R$ 3,86 pelo litro da gasolina, acima do preço de venda nas bombas nesta semana na maioria dos postos da cidade. A rede SIM trabalha com Ipiranga, BR e Shell e Argenta afirma que essas distribuidoras estão repassando os preços menores:

— Não vendemos por menos do que o preço de custo, porque isso é chamado de dumping. Nós não fomos os primeiros a baixar, observamos o mercado e fizemos a análise de preço.

O dono da rede de postos acrescenta, no entanto, que não há informações de até quando as distribuidoras manterão o preço menor para Caxias e o motivo da cidade ter sido a escolhida. Na semana passada, o Procon informou que está investigando uma denúncia de dumping, de que os preços praticados abaixo de mercado são para eliminar a concorrência de postos sem bandeira. 

Na opinião do empresário que comanda mais de 130 postos, trata-se de uma política de mercado, com questões estratégicas, que não necessariamente servem para "esvaziar" postos sem bandeira. Argenta acredita que estes tipos de promoções devem ocorrer com maior frequência pela sensibilidade do mercado com relação aos preços dos combustíveis.

Ouça a entrevista:


 
 
 

Veja também

 
Pioneiro
Busca
clicRBS
Nova busca - outros