Nasce um novo consumidor no pós-crise - Economia - Pioneiro

Caixa-Forte10/11/2017 | 06h27Atualizada em 10/11/2017 | 06h27

Nasce um novo consumidor no pós-crise

A retração vivida por três anos deixou lições que, se bem utilizadas, podem qualificar o mercado, criando um ambiente de negócios bom para os dois lados: empresas e consumidores

A impressão de quem circula pelo ambiente de negócios e conversa com empresários é de que o pior da crise econômica foi-se embora. 

Com bastante cautela e consciência, os executivos já conseguem viver sem sobressaltos, se permitem fazer planos para 2018, mas a retração vivida por três anos deixou lições que, se bem utilizadas, podem qualificar o mercado, criando um ambiente de negócios bom para os dois lados: empresas e consumidores.

A coluna compartilha alguns desses legados, a partir de entrevistas com empresários:

As empresas aprenderam a fazer mais com menos, reduzindo equipes, enxugando custos, evitando desperdício e planejando melhor as receitas e despesas.

É preciso trabalhar mais ou igual para ganhar menos. Ou seja, o lucro reduziu e as marcas se destacam com ações de marketing, estratégias e promoções que representem benefícios ao consumidor.

A longa crise reciclou o mercado. Muitas empresas despediram-se da praça e outras chegaram. Mas não há espaço para amadorismo.

O consumidor tornou-se mais consciente. Compra menos a prazo e por impulso. Pesquisa mais e nunca esteve tão exigente. 


 

Veja também

Pioneiro
Busca
clicRBS
Nova busca - outros