Caxias tem 9 mil imóveis vazios - Economia - Pioneiro

Mercado Imobiliário07/11/2017 | 07h31Atualizada em 07/11/2017 | 09h35

Caxias tem 9 mil imóveis vazios

Estimativa é da Assimob e corresponde aos que estão à venda e para alugar

Caxias tem 9 mil imóveis vazios Porthus Junior/Agencia RBS
Foto: Porthus Junior / Agencia RBS

Caxias do Sul tem cerca de 9 mil imóveis vazios. Quatro mil estão à venda e 5 mil disponíveis para alugar. A estimativa é do presidente da Associação das Imobiliárias de Caxias (Assimob), Fernando Gonçalves dos Reis. Os números são extraoficiais. A entidade está desenvolvendo uma pesquisa que deve apontar dados concretos do setor. Em setembro, a construção civil do município fechou 109 vagas de emprego, um sinalizador da redução do número de empreendimentos em construção na cidade.  Ele destaca que o número de imóveis vazios está acima do normal para uma cidade de meio milhão de habitantes. E confirma que a crise retraiu, sim, os investimentos.

Leia mais:
Após quase três anos no vermelho, economia de Caxias do Sul volta a respirar

Segundo ele, o lançamento de novos empreendimentos na cidade só deve acontecer a partir do segundo semestre do ano que vem. Considerando que um prédio entre oito e 15 andares demora três anos para ser finalizado, a estimativa é de que a oferta reduza significativamente nos próximos dois anos.  

O sócio proprietário da imobiliária Metro Quadrado, Adriano Soldatelli,  também acredita que vai faltar imóveis em dois anos. Segundo ele, este é o momento certo para investir, pois os preços estão estabilizados.  Sobre o atual cenário, tanto Soldatelli quanto o presidente da Assimob dizem que há, sim, um movimento de recuperação do setor.

 —É uma melhora lenta, mas é uma melhora — destaca Reis.

Negociar é a saída

A renegociação (para menos) está sendo a saída para muitos proprietários não manterem seus imóveis fechados. Na imobiliária Bassanesi, o número de espaço disponíveis para locação passa de 3 mil. A queda na procura pelo aluguel de salas comerciais chega a 20%. Nos residenciais, o mercado está mais otimista - recuo de 5%. Em alguns casos, a queda no preço na hora de negociar o valor  pode chegar a 20%. Em outro, o reajuste da inflação não é repassado. 

O gerente comercial da imobiliária, Felipe de Felippis, que trabalha neste ramo do mercado há mais de 10 anos, garante que esta é a pior crise que o setor da construção civil já vivenciou. A instabilidade política, segundo ele, inviabilizando a abertura de novos negócios .

A sócio proprietária da imobiliária Grazziotin, Carla Grazziotin, se mostra mais otimista em relação ao mercado imobiliário comercial. Segundo ela, há um movimento de retomada no segundo semestre deste ano que varia de  15% a 20%. Atualmente, cerca de 600 imóveis comerciais estão disponíveis para locação na área central da cidade. 

— Já chegamos a mais de um mil — lembra. 

Os valores dos alugueis estão sendo mantidos segundo ela. 

— Em vários casos, existe uma flexibilização entre proprietários e locatários. Mas acabou a fase de pedir descontos — informa.  

BAIRROS MAIS VALORIZADOS

* Exposição, Panazzolo, Cinquentenário, Colina Sorriso, Cristo Redentor, São Pelegrino, Centro e Região do Iguatemi Caxias estão entre os bairros mais valorizados de Caxias do Sul.

* Nestas áreas o valor do metro quadrado pode chegar a R$ 6 mil.  Isso representa, em média, 40% a mais em relação aos demais bairros do município. 

* Entre as causas está a escassez de terrenos nestas áreas. Os poucos que têm são muito caros.

* Nestes locais, os empreendimentos geralmente são prédios acima de 10 andares, com quatro apartamentos por andar.

Fonte: Assimob


 

Veja também

Pioneiro
Busca
clicRBS
Nova busca - outros