Sem acordo salarial, comércio de Caxias está há quatro meses sem poder abrir em feriados - Economia - Pioneiro

Serra Gaúcha31/10/2017 | 14h07Atualizada em 31/10/2017 | 14h07

Sem acordo salarial, comércio de Caxias está há quatro meses sem poder abrir em feriados

Negociação avançou para o piso salarial, mas o impasse segue em relação ao índice de reajuste

Sem acordo salarial, comércio de Caxias está há quatro meses sem poder abrir em feriados Jonas Ramos/Agencia RBS
Foto: Jonas Ramos / Agencia RBS

Após os metalúrgicos e os trabalhadores de supermercados de Caxias do Sul fecharem acordo, os comerciários são uma das principais categorias que ainda não definiu o reajuste salarial. Sem acordo, o comércio de Caxias do Sul ficou fechado nos últimos três feriados, de 7 de setembro, 20 de setembro e 12 de outubro. A orientação é não abrir com mão de obra contratada no Dia de Finados e segue a indefinição para o dia 15 de novembro. 

Leia mais:
Vereador Rodrigo Beltrão, de Caxias, volta a falar em sair do PT
Projeto de acolhimento familiar em Caxias deve começar com seis famílias

Para definir o calendário em convenção, Sindicato do Comércio Varejista (Sindilojas) e Sindicato dos Empregados no Comércio (Sindicomerciários) precisam chegar a um acordo para o índice de aumento, que é o principal impasse. Os lojistas oferecem 2,56%, que é a inflação do período da data base de julho. O sindicato dos comerciários aceitariam um aumento mínimo de 3%.

Nos últimos dias, a negociação avançou em um aspecto: o piso salarial da categoria, que hoje é de R$ 1.193. A primeira oferta do Sindilojas foi de R$ 1.230 e passou para R$ 1.245.

- Nos reunimos na última sexta-feira e eles ficaram de avaliar, mas temos nos encontrado quase que semanalmente - diz Lisandra De Bona, gerente executiva do Sindilojas.

O presidente do Sindicomerciários, Silvio Frasson, afirma que a questão do piso está superada. Segundo ele, o impasse maior agora se dá pelo índice de reajuste e acrescenta questionamento em relação ao banco de horas. 

- Eles querem banco de horas de 90 dias, mas nossa convenção era de 30 - aponta.

Frasson diz que mais uma reunião deve ser agendada nesta semana para tratar destas questões.

Metalúrgicos

Os metalúrgicos de Caxias do Sul decidiram em assembleia dos trabalhadores no último sábado (28) aceitar o reajuste de 4% retroativo a agosto proposto pelo Sindicato das Indústrias Metalúrgicas, Mecânicas e de Material Elétrico (Simecs). O valor é acima da inflação da data base, de 1º de junho, de 3,34%. Foram quatro meses de negociação.

Os metalúrgicos também conseguiram estender a validade das cláusulas sociais de maio de 2018 para o final da próxima negociação no ano que vem. Era uma reivindicação dos trabalhadores como garantia, diante da reforma trabalhista, de jornada de 44 horas, sem trabalho aos sábados, com pagamento de adicional de hora extra para o que for trabalhado além desse período.

O Sindicato dos Metalúrgicos destacou que o reajuste de 4%, com 0,6% de aumento real, está entre os mais altos do país no setor, sendo superado apenas pela base de Camaçari, na Bahia, que obteve 1% de aumento real.

 

Veja também

Pioneiro
Busca
clicRBS
Nova busca - outros