Multas recebidas por produtores dos Campos de Cima da Serra devem ser revistas - Economia - Pioneiro

Meio Ambiente12/09/2017 | 18h38Atualizada em 13/09/2017 | 08h31

Multas recebidas por produtores dos Campos de Cima da Serra devem ser revistas

Presidente do Ibama, Suely Araújo, informa que valores devem ser reduzidos, mas agricultores precisam entrar com recurso administrativo no órgão ambiental. Decreto a ser assinado pode substituir penas por serviços ambientais

Multas recebidas por produtores dos Campos de Cima da Serra devem ser revistas Felipe Nyland/Agencia RBS
Foto: Felipe Nyland / Agencia RBS

A presidente do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama), Suely Araújo, disse hoje em Brasília que os produtores  rurais dos municípios dos  Campos de Cima da Serra  que manejaram campos nativos poderão ter as multas  reduzidas e substituídas por serviços ambientais. Segundo ela, está sendo finalizado um decreto sobre o assunto, que deverá ser assinado pelo presidente da República e breve, mas ainda sem data definida. 

Suely não detalhou, no entanto, que tipo de serviços  serão determinados no documento. para suprir as multas.  Adiantou que não será a reparação do local manejado, mas o produtor terá a opção de trocar a multa se cumprir os serviços determinados no documento. 

As informações da presidente do Ibama foram reveladas em um encontro com o presidente da Famurs, Salmo Dias de Oliveira, o ministro do Meio Ambiente, Sarney Filho, e o deputado federal Jerônimo Goergen (PP-RS). Suely também ressaltou a necessidade de cada produtor entrar com recurso administrativo junto ao Ibama estadual e encaminhar a regularização da propriedade no órgão ambiental. 

— Trata-se de uma medida obrigatória de cada proprietário, individual. Somente após a regularização, a área será desembargada — destacou. 

Segundo o deputado Goergen, ela ressaltou que a Operação Campereada é uma ação tradicional e que acontece todos os anos.

— Não é uma ação sigilosa. E desta vez aconteceu nos Campos de Cima da Serra — informou.

Leia mais
Produtores dos Campos de Cima da Serra terão que se defender
Manejo no campo cria impasse em São Francisco de Paula
Dono de propriedade em São Chico recebe multa de quase R$ 1 milhão por manejar o solo no campo

Embargos  milionários

As multas recebidas pelos produtores dos Campos de Cima da Serra são milionárias. O proprietário de uma fazenda em São Francisco de Paula,  Franco Stedile, levou um susto quando viu o valor: R$ 954 mil.  "Um absurdo", disse, em agosto, logo após receber o documento. Na semana passada a família Wonsovicz, de Bom Jesus, não acreditou quando viu o valor da fatura: quase R$ 1,1 milhão. O pai Vicente, 54 anos, e o filho, Elianderson, 25, perderam o sono e não sabem o que fazer. Com a área embargada não tem como dar continuidade ao plantio de batatas, o sustento da família.

— Estamos vendo a produção escorregando entre os dedos — disse o filho Elianderson, que fez faculdade em Caxias e há quatro anos voltou para o campo para ajudar o pai na lavoura. 

A multa tirou o sono da família. Eles alegam que não sabiam da legislação.

— Ninguém nos alertou sobre isso. Nem mesmo os órgãos ambientais do município de Bom Jesus — argumanta o jovem.

 

Veja também

Pioneiro
Busca
clicRBS
Nova busca - outros