Empresas da Serra criam plataforma para venda de produtos de moda - Economia - Pioneiro

Comércio virtual10/07/2017 | 10h00Atualizada em 10/07/2017 | 10h00

Empresas da Serra criam plataforma para venda de produtos de moda

Oito marcas de Caxias do Sul e três de Guaporé já garantiram participação em iniciativa que deverá ir ao ar em 10 de agosto

Empresas da Serra criam plataforma para venda de produtos de moda Roni Rigon/Agencia RBS
Remussi afirma que, em um primeiro momento, objetivo da ação é dar visibilidade às marcas da Serra Foto: Roni Rigon / Agencia RBS

Empresas da Serra que trabalham com a fabricação de roupas, tecidos, joias e acessórios de diversos tipos unirão forças para vender seus produtos na internet. O Polo de Moda Serra Gaúcha, arranjo que abriga centenas de empresas do segmento, vai começar a apostar no comércio digital para alavancar as vendas e tornar as marcas mais conhecidas no Brasil. Para isso, criará o Integramoda, uma loja virtual que deve ir ao ar a partir de 10 de agosto.

Até o momento, 11 marcas garantiram participação na iniciativa, sendo oito de Caxias do Sul e três de Guaporé. O presidente do Polo de Moda, Sidimar Remussi, diz que a meta é de contar com a participação de, pelo menos, 50 companhias de diferentes quadrantes da região. 

Leia mais:
Pagar por bagagem no check-in do aeroporto é mais caro
Farroupilha ganhará hospital da Unimed
Lei da gorjeta ainda não vingou em estabelecimentos de Caxias


Atualmente, nos 38 municípios na área de abrangência do polo, existem mais de 1 mil marcas de moda. Em princípio, o foco será exclusivamente em atrair empresas serranas, mas não está descartada a possibilidade de se estender o convite a outros empreendimentos gaúchos do segmento.

Na plataforma, cada empresa terá seu próprio espaço. O consumidor também terá a opção de fazer buscas por tipo de produto. Se adquirir artigos de mais de uma marca, ele pagará tudo conjuntamente. A gestão dos pedidos, porém, será individualizada. Cada companhia se compromete em enviar a sua mercadoria ao cliente.

Remussi explica que a maioria das marcas que participarão do projeto hoje só vende para lojistas. No ambiente virtual, passarão a ter contato direto com o consumidor. Além disso, a empresa poderá colocar todo o seu catálogo online.

– Hoje, muitas vezes, as lojas físicas não compram as coleções completas. No Integramoda, as marcas vão poder colocar todas as suas coleções. Poderão ser criadas coleções exclusivas para o e-commerce, também poderão ser vendidas coleções passadas com descontos – explica Remussi, que também é diretor da Upman, fabricante de roupas íntimas que já confirmou presença no site.

Outra possibilidade que a plataforma pretende explorar é a integração com os serviços de buscas de grandes redes varejistas. Assim, quando o consumidor procurar por um determinado artigo no site dessas empresas, ele poderá deparar-se com alguma das marcas do Polo de Moda.

Visibilidade e novos clientes

O presidente do Polo de Moda, Sidimar Remussi, diz que ainda não há meta de vendas e nem uma ideia do potencial de faturamento que as empresas poderão ter com a iniciativa. Em um primeiro momento, segundo Remussi, a ideia é dar visibilidade às marcas.

A criação da plataforma será a oportunidade para muitas marcas serranas estrearem no comércio eletrônico. Essa é a situação da Sultextil, fabricante de tecidos caxiense que vê a possibilidade de expandir a carteira de clientes através da internet.

– O crescimento do mercado online é espantoso. Por isso, temos uma expectativa muito interessante. É uma nova frente de comercialização que se abrirá – destaca Paola Reginatto, diretora de desenvolvimento da Sultextil.

Já no caso da fabricante de roupas femininas Kripptonia, também de Caxias, a participação no Integramoda representa um retorno ao e-commerce. Alguns anos atrás, a marca tentou ingressar no mundo virtual, mas a experiência acabou não sendo exitosa.

– Tivemos um e-commerce por volta de 2012, mas naquela época não houve o retorno esperado. Não era tão habitual as pessoas comprarem roupas na internet. Hoje em dia, isso já está mais comum. As pessoas perderam esse receio – aponta a proprietária da Kripptonia, Lisiane Boppsin.

Segundo Lisiane, com as vendas na internet a Krip- ptonia conseguirá atingir novos mercados. A empresária destaca que já existem potenciais compradores no Sudeste do Brasil interessados nos produtos e que em breve poderão comprá-los pelo Integramoda.

 

Veja também

Pioneiro
Busca
clicRBS
Nova busca - outros