Caxias do Sul fecha 146 postos de trabalho em maio - Economia - Pioneiro

Emprego20/06/2017 | 19h08Atualizada em 20/06/2017 | 19h42

Caxias do Sul fecha 146 postos de trabalho em maio

No período, cidade teve 4.415 contratações e 4.561 demissões, conforme dados do Caged

Caxias do Sul fecha 146 postos de trabalho em maio Roni Rigon/Agencia RBS
Agropecuária liderou desempenho negativo, fechando 140 vagas no mês Foto: Roni Rigon / Agencia RBS

Pelo segundo mês consecutivo em 2017, Caxias do Sul teve mais demissões que admissões. Em maio, foram 4.415 contratações e 4.561 desligamentos, resultando na perda de 146 postos de trabalho na cidade. O desempenho foi divulgado nesta terça-feira no Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), do Ministério do Trabalho e Emprego (MTE).

Leia mais:
Randon Implementos, de Caxias, formaliza joint venture no Peru  
ISS vai injetar R$ 21 milhões em Caxias do Sul a partir de 2018
Casa Valduga, de Bento, construirá vinícola no Chile

O resultado caxiense foi puxado pelo fechamento de 140 postos na agropecuária, 76 na construção civil e 45 no setor de serviços. A indústria de transformação, um dos maiores empregadores do município, terminou o mês passado com saldo de apenas duas vagas fechadas, resultado de 1.485 admissões e 1.487 demissões. Por outro lado, o comércio foi quem mais contratou, finalizando maio com saldo de 120 novos empregos.

Dona do maior saldo negativo no mês, a agropecuária apresentou um resultado influenciado pela sazonalidade da safra, já que muitas culturas tiveram a colheita encerrada recentemente, conforme lembra o presidente do Sindicato dos Trabalhadores Rurais de Caxias (STR Caxias), Rudimar Menegotto.

Dentro do esperado

A integrante da diretoria de economia e finanças da Câmara de Indústria, Comércio e Serviços (CIC) Maria Carolina Gullo destaca que o resultado geral ficou dentro do esperado, dada a dinâmica do mercado caxiense nesse período do ano. Para Maria Carolina, o desempenho da indústria, mesmo com leve desempenho negativo, pode ser visto como mais um indício de reação. No ano, o segmento apresenta saldo positivo na geração de empregos.

- Até pouco tempo atrás, a maior parte das demissões era na indústria. O setor industrial chegou ao seu limite e a tendência é de recuperação, embora lenta.

Já no comércio, segundo o presidente da Câmara dos Dirigentes Lojistas (CDL Caxias), Ivonei Pioner, a realização de contratações está ligada a novos investimentos.

- Começaram a abrir novas lojas, ainda que lentamente, o que demonstra uma pequena reação do comércio - sinaliza Pioner.

No acumulado do ano, Caxias segue com saldo positivo na geração de empregos. Nos primeiros cinco meses houve 25.796 admissões e 24.151 desligamentos, totalizando 1.645 vagas criadas. Por setores, o desempenho é positivo na indústria (1.184 postos criados), serviços (414), agropecuária (237) e comércio (55) e é negativo na construção civil (-213 vagas).

e é negativo na construção civil (-213 vagas).

 
 

Siga o Pioneiro no Twitter

Veja também

Pioneiro
Busca
clicRBS
Nova busca - outros