Casa Valduga, de Bento, construirá vinícola no Chile - Economia - Pioneiro

Vitivinicultura19/06/2017 | 16h48Atualizada em 19/06/2017 | 16h48

Casa Valduga, de Bento, construirá vinícola no Chile

Empresa já conta com vinhedos em solo chileno e deve concluir fábrica de vinhos no país sul-americano até o final de 2017 

Casa Valduga, de Bento, construirá vinícola no Chile Roni Rigon/Agencia RBS
Juarez Valduga ressalta que objetivo é aproveitar o potencial de um país onde a empresa já tem vinhedos Foto: Roni Rigon / Agencia RBS

Há mais de uma década trabalhando com exportação, a Casa Valduga se prepara para dar um novo e grande passo fora do Rio Grande do Sul. A vinícola de Bento Gonçalves está construindo uma fábrica no Chile, com previsão de inauguração no final de 2017. Com esse investimento, a marca vai se tornar a primeira brasileira com produção própria de vinhos em solo estrangeiro.

- Já colocamos a primeira pedra. Acredito que até o final do ano devemos dar o passo inicial (para começar a produção) – destaca Juarez Valduga, presidente do grupo Famiglia Valduga.

Leia mais:
Cítricos atingem safra recorde neste ano no Estado 
"Queremos estar na vanguarda da alimentação", diz gerente de Marketing do BaitaKão, em Caxias
Cervejaria Salvador aposta em fábrica e bar, em Caxias do Sul

Apesar de não revelar números, Juarez Valduga garante que o aporte na estrutura chilena será pesado. A empresa está conduzindo a iniciativa por conta própria, sem contar com outro sócio estrangeiro.

Em reunião-almoço com empresários caxienses, na Câmara de Indústria, Comércio e Serviços (CIC), nesta segunda-feira, Juarez enfatizou que a ideia não é importar vinhos para o Brasil. No entanto, ressaltou que a Serra pode ser mais competitiva na produção de espumantes e de sucos de uva.

O empresário, inclusive, defende que as vinícolas da região somem forças para encontrar um nome próprio para o espumante gaúcho, o que abriria novas portas para o produto ao redor do mundo. Seria algo semelhante ao que fez a Espanha, que popularizou a nomenclatura cava para a bebida feita, principalmente, na região da Catalunha.

Com a planta chilena focada na produção de vinhos, o presidente ressalta que a ideia é aproveitar o potencial de um país onde a companhia já tem vinhedos. Segundo o empresário, às vezes o excesso de chuva traz prejuízos à uva da Serra voltada para a fabricação de vinhos finos.

- Não podemos ficar à mercê de, em cada 10 safras, duas serem boas – sinaliza.

Diversificar para crescer

O investimento na vinícola no Chile é apenas uma das iniciativas que o grupo Famiglia Valduga vem conduzindo. Juarez Valduga enfatiza que a empresa busca a diversificação das fontes de receita, para "não colocar todos os ovos na mesma cesta¿. Nesse sentido, nos últimos anos, o grupo criou uma cervejaria, que já gera 300 mil unidades da bebida ao ano, e passou a fabricar cosméticos com base nas sobras de uvas.

- Do bagaço da uva podemos fazer uma cachaça, a grapa, e dela fazer licores. Da semente da uva podemos fazer azeite e do azeite os cremes com base na semente da uva. Sempre estamos com dois ou três projetos na frente. É olhar as oportunidades que estão na nossa frente e criar – constata Juarez Valduga.

Uma das próximas tacadas da empresa será o início da fabricação de chás. O objetivo é colocar no mercado três tipos da bebida, cada um deles com produção de 1 mil unidades em garrafas.

 
 

Siga o Pioneiro no Twitter

  • pioneiroonline

    pioneiroonline

    Pioneiro.comIniciativa distribuiu refeições, agasalhos e cobertores a moradores de rua em Caxias https://t.co/cBGFwyG0wP #pioneirohá 17 minutosRetweet
  • pioneiroonline

    pioneiroonline

    Pioneiro.comMilhares visitam Fenakiwi, em Farroupilha, na abertura da última edição da festa https://t.co/ZLCJu2BwtF #pioneirohá 32 minutosRetweet

Veja também

Pioneiro
Busca
clicRBS
Nova busca - outros