Empresário de Farroupilha investe na criação de parque temático da cerveja - Economia - Pioneiro

Turismo20/05/2017 | 08h00Atualizada em 20/05/2017 | 08h00

Empresário de Farroupilha investe na criação de parque temático da cerveja

Projeto da Blauth Bier quer estimular na Serra o turismo ligado à "experiência da cerveja"

Empresário de Farroupilha investe na criação de parque temático da cerveja Marcelo Csagrande/Agencia RBS
Rafael Haupt, proprietário da Blauth Bier, já investiu R$ 4 milhões no complexo cervejeiro Foto: Marcelo Csagrande / Agencia RBS

Conhecida pela produção de vinho e pelo enoturismo, a Serra Gaúcha em breve também deverá ser lembrada por causa de suas cervejas artesanais. Essa é a meta do proprietário da cervejaria Blauth Bier, Rafael Haupt, que está investindo na construção de um parque temático da cerveja em Farroupilha. A ideia é fomentar o turismo ligado à bebida a base de cereais, oferecendo visitas guiadas na fábrica, degustação, harmonização e eventos. O local ainda conta com um biergarten ao estilo germânico e, no futuro, abrigará um pub nos moldes ingleses e até mesmo estrutura para hospedagem. Tudo isso em meio a um cenário de campo digno de cartão-postal.

Leia mais:
O Brasil será passado a limpo a exemplo da Itália, há 25 anos?
DRSUL inaugura 2ª concessionária Renault em Porto Alegre
Aumento de assaltos faz Banrisul restringir horário de caixas eletrônicos

O projeto aos poucos começa a tomar forma. Inaugurada no final de 2015 na localidade farroupilhense do Desvio Blauth, na VRS-813, a cervejaria fabrica cerca de 15 mil litros mensais de quatro tipos de cerveja, recebe visitantes esporadicamente e realiza eventos que atraem até 500 pessoas nos fins de semana. Agora, o próximo passo é regular as visitas guiadas.

Recentemente, o local passou por uma larga reforma para receber os visitantes. Um roteiro começará a ser realizado nas próximas semanas, com entradas na faixa de R$ 20 a R$ 40, incluindo a degustação. A empresa já tem parceria com operadores locais, que oferecem aos turistas o pacote voltado à ¿experiência da cerveja¿. A inspiração vem de cervejarias norte-americanas e europeias e, inclusive, das vinícolas da região que abrem suas portas aos visitantes.

– Sem dúvida, o Vale dos Vinhedos serve como uma referência. Nosso fluxo turístico deve ser um reflexo do Vale, porque existe um público etílico. Aqui tem o glamour do vinho, mas também há potencial para explorar a gastronomia e o turismo com a cerveja artesanal – acredita Haupt, que é mestre cervejeiro e criou a fórmula de todos os tipos de cervejas da Blauth Bier.

Investimento milionário

Até o momento, o empresário conta que já foram investidos mais de R$ 4 milhões no complexo de nove hectares, sendo dois deles utilizados pela fábrica. A criação do pub, com inauguração prevista para o final de 2018, exigirá o aporte de mais R$ 1 milhão. Quando o bar estiver totalmente pronto, a projeção é de que sejam contratados 30 funcionários, que se somarão aos 11 integrantes da equipe atual.

Hoje com vendas apenas em cidades da Serra e Porto Alegre, a cervejaria quer comercializar a bebida em todo o Rio Grande do Sul. Para isso, almeja expandir a capacidade de produção para até 120 mil litros mensais, conforme cresça a demanda.

Tamanho potencial do negócio não passou despercebido de investidores. No início avesso a ter um sócio, Blauth mudou de ideia quando recebeu uma proposta de Ricardo e Marcos Tramontina, interessados em participar do negócio. Os empreendedores da família Tramontina criaram uma holding para adquirir 50% do capital da cervejaria. Antes mesmo do acordo entre as partes ser assinado, o que deve ocorrer nesta semana, já começaram a injetar dinheiro na expansão do empreendimento.

– Com o mercado de cervejarias crescendo do jeito que está, temos um oceano pela frente para explorar. A cultura cervejeira recém está começando no Brasil – define o fundador da Blauth Bier.

Inspiração familiar

O projeto da Blauth Bier começou a ser arquitetado por Rafael Haupt há uma década e é fortemente inspirado na história de sua família. O seu bisavô, Curt Haupt, veio da Alemanha no começo do Século 20 e acabou se estabelecendo no Desvio Blauth ao se apaixonar pela filha de um madeireiro da região, chamada Elsa Blauth.

Na localidade, o casal fundou um dos primeiros hotéis de veraneio do Rio Grande do Sul, inspirado nos estabelecimentos europeus. Como a linha do trem passava pelo Desvio Blauth, o fluxo de visitantes era intenso. Muitas famílias, principalmente vindas de Porto Alegre, desembarcavam no local. Com o passar do tempo, o empreendimento fechou, a linha do trem acabou e as terras foram passadas de geração em geração na família. Ao chegar a Rafael Haupt, ele não hesitou em criar a cervejaria ali.

– Eu cresci escutando histórias desse tempo. Como recebi as terras, desde pequeno tinha o interesse em trabalhar aqui – recorda Rafael.

Dentro da fábrica da Blauth Bier, um dos espaços deve abrigar uma sala de cinema, que passará vídeos recordando a história do Desvio Blauth e do hotel. O espaço também poderá sediar cursos e eventos dedicados à disseminação da cultura cervejeira.

A longo prazo, sem uma data estabelecida, o complexo voltará a se inspirar no passado hoteleiro, já que há a intenção de construir uma série de cabanas para hospedagem.

Cervejarias de Farroupilha querem criar rota turística

Com a multiplicação das cervejarias artesanais na Serra Gaúcha, três empreendedores de Farroupilha começaram a pensar a criação de uma rota turística conjunta. A iniciativa é encabeçada pelas empresas Blauth Bier, Favorita e Guarnieri, mas ainda não tem data definida para estrear. No Rio Grande do Sul, atualmente, existem alguns roteiros dedicados à bebida. Entre eles, o do distrito cervejeiro de Porto Alegre e a rota de fábricas entre Canela, Gramado e Nova Petrópolis.

Com perfis distintos de cervejas no portfólio e diferentes objetivos mercadológicos, os empresários farroupilhenses pensam que uma articulação conjunta beneficiará a todos.

– Existe uma procura por esse tipo de turismo (da cerveja). A ideia de criar uma rota é para que as cervejarias não fiquem isoladas, que consigamos trabalhar juntos a nossa comunicação. A união faz a força – enfatiza o proprietário da Cervejaria Guarnieri, Luis Paulo Guarnieri.

Há cinco anos no mercado, a Guarnieri é a cervejaria mais antiga do trio. Atualmente, produz cerca de 14 variedades de cerveja em sua fábrica, localizada na área rural de Farroupilha, quase na divisa com Garibaldi. Guarnieri também tem um pub em Bento Gonçalves, onde comercializa a bebida da própria marca.

Situada na parte urbana de Farroupilha, a Favorita já recebe alguns visitantes na sua sede. Um dos atrativos oferecidos é a possibilidade de o turista extrair cerveja direto do tanque para o seu growler (recipiente de vidro, cerâmica ou alumínio propício para o armazenamento da cerveja), levando-a para casa. A empresa faz cerca de 25 mil litros por mês de 7 tipos diferentes da bebida. O proprietário Flávio Poakoski, acredita que a rota só tende a trazer bons frutos para a região.

– A experiência da cerveja é mais uma forma de consolidar o turismo na Serra. É uma nova opção, além do vinho – aponta Poakoski.

O sócio-proprietário da Blauth Bier, Rafael Haupt, salienta que, apesar de a ação ser articulada entre os cervejeiros de Farroupilha, ela poderia ser expandida para incluir fabricantes de cidades como Caxias e Bento Gonçalves.

 
 

Siga o Pioneiro no Twitter

  • pioneiroonline

    pioneiroonline

    Pioneiro.comConflito permanente e desgastante na prefeitura de Caxias do Sul https://t.co/WjoIExV8wF #pioneirohá 42 minutosRetweet
  • pioneiroonline

    pioneiroonline

    Pioneiro.comPreso segundo suspeito de latrocínio de tenente da reserva da Brigada Militar em Caxias do Sul https://t.co/qFRwZ8DOFD #pioneirohá 1 horaRetweet

Veja também

Pioneiro
Busca
clicRBS
Nova busca - outros