Vendas de vinhos finos gaúchos diminuem 30% no primeiro trimestre - Economia - Pioneiro

Economia24/04/2017 | 17h59Atualizada em 24/04/2017 | 17h59

Vendas de vinhos finos gaúchos diminuem 30% no primeiro trimestre

Nos espumantes, a redução ficou em 21%

Vendas de vinhos finos gaúchos diminuem 30% no primeiro trimestre Roni Rigon/Agencia RBS
Foto: Roni Rigon / Agencia RBS

As vendas de vinhos, espumantes e sucos de uva gaúchos tiveram queda neste primeiro trimestre em relação aos três primeiros meses de 2016. A maior queda foi dos vinhos finos, com redução de 30%. Os números foram divulgados pelo presidente do Instituto Brasileiro do Vinho (Ibravin), Dirceu Scottá, na manhã desta segunda-feira, durante a apresentação do Cadastro Vitícola do Rio Grande do Sul. As informações são da Gaúcha Serra

Leia mais: 
Vendas de abril animam setor malheiro da Serra 
Com dívidas de R$ 20 milhões, grupo Moda Viva, de Caxias, entra em recuperação judicial


De acordo com o presidente do Ibravin, a queda nas vendas de vinho de mesa foi de 22%; de espumantes, 21%; e, de suco de uva, 15%. Os balanços são apenas para o consumo nacional. Os dados de exportação ainda não estão fechados. Mesmo que os números se refiram apenas ao Estado, refletem massivamente na produção nacional, já que 90% do vinho fino do Brasil é produzido no Rio Grande do Sul.

Ao mesmo tempo em que houve queda nas vendas dos produtos nacionais, as importações aumentaram. No primeiro trimestre de 2017, o aumento nas importações de vinhos foi de 48,5% e, de espumantes, 44%, na comparação com o primeiro trimestre de 2016. Atualmente, 40% do vinho consumido no Brasil é importado. O produto importado já representou 20% do consumo no país.

Conforme Scottá, a diminuição das vendas é reflexo da quebra na safra 2015/2016, que foi de 57%. Porém, os encargos são os que mais pesaram, segundo Scottá. Ele afirma que 60% do preço de uma garrafa de vinho, por exemplo, é de impostos.

Cadastro vitícola

O estudo sobre os vinhedos no Rio Grande do Sul referente aos anos de 2013 a 2015 aponta um crescimento das plantações de uva em áreas mais planas do Estado, favorecendo assim, maiores áreas de cultivo e produção mais mecanizada. Um tipo de agricultura bem diferente da praticada em Caxias do Sul, Bento Gonçalves, Flores da Cunha e nos municípios do entorno, baseada na agricultura familiar e plantações em relevos mais acidentados.

O estudo também aponta aumento na oferta de uvas para a produção de sucos e de espumantes finos. O cadastro vitícola é feito desde 1995 no Rio Grande do Sul. 
 

 
 

Siga o Pioneiro no Twitter

  • pioneiroonline

    pioneiroonline

    Pioneiro.comUPA de Caxias é a única esperança para desafogar Postão 24 horas https://t.co/wGk2kyKilT #pioneirohá 41 minutosRetweet
  • pioneiroonline

    pioneiroonline

    Pioneiro.comDevido à superlotação, Hospital Geral de Caxias fecha pronto-socorro https://t.co/jUsQtwaJF9 #pioneirohá 1 horaRetweet

Veja também

Pioneiro
Busca
clicRBS
Nova busca - outros