Novas regras para cartões de crédito rotativo entram em vigor nesta segunda-feira - Economia - Pioneiro

Consumo03/04/2017 | 08h06Atualizada em 04/04/2017 | 09h19

Novas regras para cartões de crédito rotativo entram em vigor nesta segunda-feira

As medidas pretendem restringir o prazo do crédito

Novas regras para cartões de crédito rotativo entram em vigor nesta segunda-feira Felipe Nyland/Agencia RBS
Com as novas regras, bancos serão obrigados a oferecer outra modalidade de parcelamento da conta  Foto: Felipe Nyland / Agencia RBS

Começam a valer a partir desta segunda-feira novas regras do rotativo do cartão de crédito. A medida, aprovada pelo Conselho Monetário Nacional (CMN), restringe o prazo do crédito rotativo, que só poderá ser usado por 30 dias. Depois disso, o banco será obrigado a oferecer ao cliente outra modalidade de parcelamento da conta, com juro e prazo definidos. Assim, evita-se a renovação da dívida mês a mês.

Leia mais
Produção caseira de ovos de chocolate é opção de renda extra
Chef Henrique Neves prepara espaço gastronômico em Caxias
Famoso doce trudel chega a Caxias

O cartão é a modalidade com maiores taxas de juros do mercado. Dados do Banco Central de dezembro de 2016 indicam que a taxa foi de 484,6% ao ano, ou 15,85% ao mês, o que, na avaliação de especialistas, contribui para a inadimplência e o endividamento dos consumidores.

Hoje, a inadimplência do cartão de crédito rotativo para pessoas físicas é de 33,2% do total de operações, enquanto a do parcelado é de 1,2%, conforme o SPC Brasil. Com a mudança, os juros do parcelamento irão variar de 0,99% a 9,99% ao mês. Simulações mostram que, pelas regras atuais, uma dívida de R$ 2 mil paga em 18 meses no rotativo somará ao seu final R$ 5.874,48. Pela nova regra, em um juro de 8% ao mês, chegará a R$ 3.841,20 — uma diferença de quase R$ 2 mil.

— A mudança vai possibilitar uma redução do custo de financiamento em quase 50% em relação ao juro atual — calcula Miguel Ribeiro de Oliveira, vice-presidente da Associação Nacional dos Executivos de Finanças (Anefac).

Consultores financeiros e defensores do Direito do Consumidor alertam que a mudança de regras não sugere que parcelar a fatura mínima virou bom negócio. O juro do novo parcelamento ainda supera em muito os valores de empréstimo pessoal no Brasil, principalmente se comparados ao consignado ou ao empréstimo sob garantia.

— Mesmo com a adoção desta nova forma de pagamento mais barata, o crédito pessoal bancário continua com uma taxa de juros menor do que a apresentada pelo cartão de crédito — afirma a diretora executiva do Procon Porto Alegre, Sophia Martini Vial.

A economista-chefe do SPC Brasil, Marcela Kawauti, alerta que se programar para pagar a fatura até a data de vencimento continua a ser a melhor atitude e que o consumidor não deve interpretar as novas regras com financiamento mais barato da dívida como um incentivo ao uso desenfreado do cartão de crédito.

NOVAS TAXAS

Qual o juro mensal do parcelamento após 30 dias de rotativo

- Banco do Brasil: de 1,91% a 9,38%

- Itaú: de 0,99% a 8,90%

- Bradesco: de 3,60% a 9,80%

- Santander: de 2,99% a 9,99%

- Banrisul: indefinida até sexta-feira

- Caixa Federal: entre 3,3% e 9,9% 

 
 

Siga o Pioneiro no Twitter

  • pioneiroonline

    pioneiroonline

    Pioneiro.comhttps://t.co/AzHzpTRazb #pioneirohá 11 minutosRetweet
  • pioneiroonline

    pioneiroonline

    Pioneiro.comÚltimo suspeito de furto à Delegacia de Polícia de Nova Prata é preso https://t.co/48nlDS1gUx #pioneirohá 17 minutosRetweet

Veja também

Pioneiro
Busca
clicRBS
Nova busca - outros