"Eu estou otimista porque só vejo gente pessimista" - Economia - Pioneiro

Caixa-Forte27/04/2017 | 14h09Atualizada em 27/04/2017 | 19h03

"Eu estou otimista porque só vejo gente pessimista"

Mais do que clarear o cenário, Ricardo Amorim, um dos debatedores do programa Manhattan Connection, da GloboNews, ajudou a injetar ânimo nos empresários da Serra. Saiba quanto foi o cachê do economista

"Eu estou otimista porque só vejo gente pessimista" Tatiana Cavagnolli/divulgação
600 pessoas participaram do evento no Clube Independente, em Flores da Cunha Foto: Tatiana Cavagnolli / divulgação

O futuro é incerto. As dúvidas rondam. Os empresários não sabem se investem ou se recuam. Os trabalhadores não ousam comprar.Esse contexto de incertezas e a oportunidade de ouvir previsões de um dos economistas mais influentes do Brasil levaram 600 pessoas ao Clube Independente, em Flores da Cunha, na noite de terça-feira.

Mais do que clarear o cenário, Ricardo Amorim, um dos debatedores do programa Manhattan Connection, da GloboNews, desde 2003, e colunista na revista IstoÉ, ajudou a injetar ânimo nos empresários e profissionais.

– Eu estou otimista porque só vejo gente pessimista. A hora de se preparar para as oportunidades é agora – pontuou. 

Com cachê alto – especula-se na faixa dos R$ 60 mil –, o Centro Empresarial de Flores da Cunha conseguiu viabilizar sua vinda por meio de patrocínio da Móveis Florense, Caderode e Rede de Postos SIM. Os ingressos custavam R$ 50 (associados à entidade) e 100 (público em geral).

O que disse Ricardo Amorim:

Nos últimos três anos, as coisas deram muito erradas para o Brasil

Nos últimos 15 anos, a cada US$ 4 que a economia mundial cresceu, três vieram de países emergentes, como o Brasil, atraindo investimentos estrangeiros

Fomos nós que causamos a crise. Está na nossa mão resolvê-la

Todas as vezes que a economia caiu, os presidentes perderam a popularidade e despencaram

A economia brasileira vai crescer mais do que as pessoas acham. Isso traz oportunidades, porque quase ninguém viu

A economia é feita de ciclos, assim como tudo na vida. Em análise de 180 países, os ciclos de crise duram até seis anos, chegando a sete ou oito só em países em guerra

A realidade é melhor do que se imagina. Estamos começando a ver sinais de recuperação, motivados pelo retorno da confiança e pela redução da inflação e dos juros

O PIB de fevereiro cresceu mais do que nos últimos sete anos e se criou mais empregos do que se destruiu

O dólar não vai se estabilizar pois a economia é movida pela lei da oferta e da procura

Voltará a ter uma nova classe média, com o retorno do crédito e do consumo pesado em setores como o imobiliário, o mobiliário e o automotivo

A política não aceita vácuo. E temos um tremendo vácuo de liderança, abrindo espaço aos salvadores da Pátria

As cidades do interior têm crescido mais por conta do agronegócio,a partir da melhora das condições de consumo de países como a China

A chance de Michel Temer fazer tudo certo como presidente é zero. Lula fez tudo certo? Não. Para o Brasil ir bem, não tem de se fazer tudo certo. O que não pode é se fazer quase tudo errado

A Reforma da Previdência é fundamental porque a conta do governo não fecha, o que mexerá no bolso das pessoas


 
 

Siga o Pioneiro no Twitter

  • pioneiroonline

    pioneiroonline

    Pioneiro.comResidência é totalmente consumida em incêndio no interior de Farroupilha https://t.co/MAIwbUtxI3 #pioneirohá 10 horas Retweet
  • pioneiroonline

    pioneiroonline

    Pioneiro.comAgenda: Humberto Gessinger se apresenta neste sábado na Fenakiwi, em Farroupilha https://t.co/OxVsBsuS1X #pioneirohá 11 horas Retweet

Veja também

Pioneiro
Busca
clicRBS
Nova busca - outros