'A manifestação foi totalmente inoportuna', definiu presidente da CIC de Caxias - Economia - Pioneiro

Caixa-Forte28/04/2017 | 17h54Atualizada em 28/04/2017 | 17h54

'A manifestação foi totalmente inoportuna', definiu presidente da CIC de Caxias

Indústria foi a mais afetada pela dificuldade de acesso de trabalhadores

'A manifestação foi totalmente inoportuna', definiu presidente da CIC de Caxias julio soares/divulgação
Presidente da Câmara de Indústria, Comércio e Serviços (CIC) de Caxias, Nelson Sbabo, lamenta prejuízos à economia Foto: julio soares / divulgação

Sexta-feira foi um dia de máquinas paradas e prejuízos para a economia caxiense, em função das manifestações que mudaram as rotinas de empresas e causaram dificuldades de transporte de trabalhadores. A indústria foi a mais afetada, deixando lideranças indignadas com as manifestações:

– Foram totalmente inoportunas, fora do momento, sem necessidade, já que as propostas ainda estão sendo discutidas – definiu o presidente da Câmara de Indústria, Comércio e Serviços (CIC) de Caxias, Nelson Sbabo.

O executivo acredita que as reformas (da Previdência e Trabalhista) são necessárias para o Brasil sair da crise, mas essas modificações precisam ser analisadas ¿sem paixões políticas e ideologias¿.

Empresas como Marcopolo e Randon tiverem seus expedientes comprometidos pela dificuldade de acesso dos trabalhadores por conta de bloqueios de sindicalistas e manifestantes. Parte dos empregados nem saiu de casa com receio da greve.

– É mais um dia de perdas que soma-se às dos últimos três anos em que a economia andou para trás – criticou Sbabo. 

 

Veja também

Pioneiro
Busca
clicRBS
Nova busca - outros