Dissídio dos metalúrgicos de Caxias do Sul e região é oficializado - Economia - Pioneiro

Metalúrgicos22/09/2016 | 17h38Atualizada em 22/09/2016 | 17h43

Dissídio dos metalúrgicos de Caxias do Sul e região é oficializado

Acordo foi assinado na tarde desta quinta-feira, com a participação dos sindicatos patronal e dos trabalhadores

Dissídio dos metalúrgicos de Caxias do Sul e região é oficializado Moacir Brehn/Divulgação
Representaram o Simces na assinatura o presidente Reomar Slaviero (centro) e o diretor executivo, Odacir Conte (à esquerda). Assinou em nome do Sindicato dos Trabalhadores Metalúrgicos, o presidente em exercício, Claudecir Monsani. Foto: Moacir Brehn / Divulgação
Pioneiro
Pioneiro

Dez dias após o término das negociações em torno do dissídios de trabalhadores do setor metalmecânico de Caxias do Sul e região — que definiu um reajuste parcelado de 9,8% entre outros benefícios —, foi oficializada ontem a convenção coletiva da categoria. O acordo foi assinado pelos representantes do Sindicato das Indústrias Metalúrgicas, Mecânicas e de Material Elétrico (Simecs) e Sindicato dos Trabalhadores Metalúrgicos de Caxias do Sul.

As negociações do dissídio, que tem 1º de junho como data-base, duram mais de três meses e foram acertadas com mediação do Tribunal Regional de Trabalho (TRT).De acordo com o presidente do Simecs, Reomar Slaviero, as empresas do segmento fizeram um grande esforço para compor o acordo deste ano, uma vez que ainda continuam amargando a perda de lucratividade e sem perspectivas de recuperação:

_ O ano de 2016 está sendo para o setor metalmecânico um dos períodos mais difíceis dos últimos tempos.

 Logo após o acerto do dia 12, o presidente em exercício do Sindicato dos Trabalhadores, Claudecir Monsani, destacou ao Pioneiro que o principal avanço das negociações foi o congelamento das cláusulas sociais (como auxílio-transporte, horas-extras e licença-maternidade, por exemplo) por dois anos. Segundo o sindicalista, a determinação é positiva principalmente em tempos de insegurança a respeito do futuro dos direitos trabalhistas.

Como o reajuste deste ano será parcelado, serão pagos 4% a partir de 1º de junho a 30 de setembro (pagamento será retroativo), mais 2,5% em outubro e novembro, e o restante da inflação _ 3,32% _ a partir de 1º de dezembro.

A convenção também assegurou piso no valor de R$ 1.225,44 a partir de 1º de junho de 2016, e reajustes no pagamento do auxílio-creche (R$ 255,60, a partir de 1º de junho, R$ 261,77 a partir de 1º de outubro, e R$ 269,93 a partir de 1º de dezembro de 2016).

Após oficializado o acordo, o próximo passo é registrar a convenção junto ao Ministério do Trabalho. O dissídio é válido para empresas e trabalhadores do setor em Caxias do Sul, Farroupilha, Flores da Cunha, Garibaldi, São Marcos, Nova Pádua e Nova Roma do Sul.

 
 
Pioneiro
Busca
clicRBS
Nova busca - outros