Tecnologia para desinfecção, criada pela Marcopolo, vai parar nos estádios - Colunas do Caixa-Forte - Economia: impostos, financiamentos e mais - Pioneiro
 
 

Caixa-Forte24/07/2020 | 07h41Atualizada em 24/07/2020 | 07h41

Tecnologia para desinfecção, criada pela Marcopolo, vai parar nos estádios

Fabricante de ônibus também inicia atuação no segmento hoteleiro 

Tecnologia para desinfecção, criada pela Marcopolo, vai parar nos estádios Porthus Junior/Agencia RBS
Totem de autoatendimento para prevenção foi usado no Ca-Ju desta semana Foto: Porthus Junior / Agencia RBS

A célula de inovação da Marcopolo vai além de criar soluções para o mercado de transporte coletivo onde atua. A Marcopolo Next acaba de fornecer uma tecnologia para desinfecção dos estádios. A Fip Spaces, como está sendo chamada a inovação, foi utilizada nesta semana para o retorno do campeonato gaúcho. O avançado sistema de névoa seca foi utilizado no Estádio Centenário, para o Gre-Nal, e no Alfredo Jaconi, para o Ca-Ju. 

A solução utiliza micropartículas que eliminam vírus e bactérias. O sistema esteve no vestiário, área de imprensa e outros ambientes usados pelas equipes. Os jogadores e comissões técnicas passaram por medição de temperatura e identificação de uso de máscara pelo Safe Check-In, totem de autoatendimento para prevenção. As tecnologias estão sendo estudadas pela Federação Gaúcha de Futebol para uso em todo o campeonato.

Além dos estádios, a Marcopolo Next diversifica e inicia a atuação no segmento hoteleiro com o FIP Spaces Hotéis. A tecnologia foi aplicada de maneira pioneira em um hotel da Bahia, no Etnia Casa Hotel localizado em Trancoso.

Saiba mais
Indústria que fornece para salões de beleza inaugura e-commerce


 
 
 
 
Pioneiro
Busca
clicRBS
Nova busca - outros