Simecs solicita à prefeitura novo decreto para ampliação de 75% do quadro de funcionários em indústrias - Colunas do Caixa-Forte - Economia: impostos, financiamentos e mais - Pioneiro
 
 

Caixa-Forte11/05/2020 | 11h45Atualizada em 11/05/2020 | 11h45

Simecs solicita à prefeitura novo decreto para ampliação de 75% do quadro de funcionários em indústrias

Demanda atende entendimento do novo plano de distanciamento controlado do governo do Estado

Simecs solicita à prefeitura novo decreto para ampliação de 75% do quadro de funcionários em indústrias Cleber Mignoni Zeferino/Pioneiro
Foto: Cleber Mignoni Zeferino / Pioneiro

Assim como foi quando o último decreto municipal para a indústria ampliou para 50% o quadro de funcionários nas empresas de Caxias, o Sindicato das Indústrias Metalúrgicas, Mecânicas e de Material Elétrico (Simecs) reforçou a necessidade de ampliar para 75% este percentual. Isso ocorre a partir da divulgação do novo modelo de distanciamento controlado estabelecido para o Rio Grande do Sul pelo governo estadual. 

Neste plano, a Serra foi classificada na cor laranja de risco médio, ou seja, média capacidade do sistema de saúde e baixa propagação do vírus ou alta capacidade do sistema de saúde e média propagação do vírus. Com isso, o polo metal-mecânico, que representa a maior parte das indústrias da região, poderia atuar com 75% dos trabalhadores. Para consolidar a decisão, o presidente do Simecs, Paulo Spanholi, manifestou ao vice-prefeito, Edio Elói Frizzo a intenção de ter um novo decreto municipal para dar mais segurança às empresas que pretendem ampliar o quadro de trabalhadores em atividades. O representantes das indústrias destaca, porém, que a maioria das empresas segue sem demanda de pedidos para ampliar a produção.

_ O ideial seria 75% porque tem algumas empresas específicas, principalmente empresas que fornecem para a área da saúde, que estão em pleno vapor. São poucas na representatividade do PIB, porque as empresas em geral não estão trabalhando nem com 50%. Mas a gente pediu 75% porque a economia pode voltar, mesmo achando que vai demorar de três a quatro meses. E, quando isso acontecer, não tem que fazer novo decreto _ explica o presidente do Simecs.

Spanholi disse que o poder público está sendo sensível às demandas do setor e prometeu fazer a análise da situação para um novo decreto. Está prevista para esta segunda-feira, às 18h, uma transmissão ao vivo do vice-prefeito para detalhar os novos pontos para cada setor, inclusive a indústria de Caxias, de acordo com o plano do governo do Estado.

Saiba também
Varejo das Hortênsias é o mais afetado do Estado


 
 
 
 
Pioneiro
Busca
clicRBS
Nova busca - outros