Procura por piqueniques obriga adega a fechar jardim - Colunas do Caixa-Forte - Economia: impostos, financiamentos e mais - Pioneiro
 
 

Caixa-Forte13/05/2020 | 10h04Atualizada em 13/05/2020 | 10h04

Procura por piqueniques obriga adega a fechar jardim

Empreendimento de Nova Pádua chegou a receber 800 pessoas durante a pandemia

Procura por piqueniques obriga adega a fechar jardim Jõao Pedro Sonda/Divulgação
Dom Camilo não perdeu movimento com a pandemia Foto: Jõao Pedro Sonda / Divulgação

As aglomerações em um ambiente ao ar livre em uma pequena cidade da Serra obrigaram os donos do empreendimento a fechar a atração aos finais de semana. A Adega Dom Camilo, na região do Belvedere Sonda em Nova Pádua, comunicou ao público o fechamento por tempo indeterminado desde o último sábado. A decisão ocorreu pela dificuldade em seguir todas as medidas preventivas ao coronavírus. A fila de pessoas com máscaras para ingressar no jardim da vinícola para os tradicionais piqueniques chamava atenção no último domingo em que a atração foi mantida. 

Quase 800 pessoas foram ao local, a mesma média de finais de semana sem pandemia. Os piqueniques ao ar livre já representavam 50% do faturamento. Segundo o sócio-proprietário João Pedro Sonda, foi preciso abrir mão da receita para assegurar a saúde e o bem-estar de todos que estão envolvidos: proprietários,  funcionários e visitantes.

– Realmente não tem como controlar tanta gente. O pessoal até respeita bem as medidas de segurança, como o uso de máscaras, mas o grande problema é a aglomeração. Eles gostam de ficar na borda do terreno para olhar a vista do Rio das Antas – exemplifica Sonda.

A área tem um hectare de espaço aberto. Resta saber se outros empreendimentos similares, que vêm registrando a mesma lotação, adotarão medidas mais restritivas.

Saiba também
Retomada com boas perspectivas


 
 
 
 
Pioneiro
Busca
clicRBS
Nova busca - outros