Dono de hotel nos Campos de Cima da Serra desabafa sobre comportamento de turistas - Colunas do Caixa-Forte - Economia: impostos, financiamentos e mais - Pioneiro
 
 

Caixa-Forte27/05/2020 | 15h20Atualizada em 27/05/2020 | 15h20

Dono de hotel nos Campos de Cima da Serra desabafa sobre comportamento de turistas

Manifesto tem relação com a mudança de perfil de público ocasionada pela pandemia

Dono de hotel nos Campos de Cima da Serra desabafa sobre comportamento de turistas Parador Hampel/Instagram / Reprodução
Foto: Parador Hampel / Instagram / Reprodução

A direção do Parador Hampel, hotel centenário de veraneio de São Francisco de Paula retomado em 2017 pelo chef Marcos Livi, publicou um manifesto em seu Instagram que chamou atenção. O desabafo, intitulado “Não venha ao Hampel”, tem relação com a mudança de perfil de público ocasionada pela pandemia, segundo Livi, o também proprietário de restaurantes conceituados de São Paulo. O turista que não ia para o Hampel, em função de não poder sair do Estado e do país, tem buscado os Campos de Cima da Serra como alternativa.

_ E o turista não entende nosso propósito, de uma hotelaria simples, de charme e cuidado com o cliente. A expectativa é porcelanato, carpete, mordomo, troca de talheres a toda hora, o que nem é sustentável. Somos pet friendly, mas agora temos protocolos novos, porque tudo mudou em função do corona. Porém tem clientes que não entenderam, querem impor a regra deles na hora de comer, de quantas pessoas vão, querem levar grupo de amigos para comemorar aniversário _ exemplifica Livi.

Por decreto, o parador só pode atender com 50% da capacidade. Desta forma, rapidamente a pequena hospedagem chega ao limite aos finais de semana, mas o movimento nos demais dias está bem abaixo do esperado.

_ Estamos aprendendo a viver com novos protocolos mas o consumidor também tem que ter esse entendimento. Trabalho com a ideia de cliente e a razão, porque não é que ele sempre tem a razão. Se ele vai no estabelecimento, não pelo que é, mas pelo que ele quer que se torne, vai estar errado _  acredita Livi.

Se não fosse a pandemia, o empreendedor estava prevendo que este seria o melhor ano da hotelaria pelos feriados e até mesmo o tempo seco que ajuda o turismo. O evento A Ferro e Fogo, com assados preparados no fogo de chão realizado em alguns domingos do mês, também foi cancelado e o modelo será repensado para poder ser retomado.

Saiba também
Discussão salarial dos metalúrgicos já começou


 
 
 
 
Pioneiro
Busca
Imprimir
clicRBS
Nova busca - outros