Semana é decisiva para o comércio em Caxias do Sul - Colunas do Caixa-Forte - Economia: impostos, financiamentos e mais - Pioneiro
 
 

Caixa-Forte14/04/2020 | 12h23Atualizada em 14/04/2020 | 12h23

Semana é decisiva para o comércio em Caxias do Sul

Mesmo sem poder vender nas lojas, o comércio tem recebido clientes para pagamento de contas, por exemplo

Semana é decisiva para o comércio em Caxias do Sul Marcelo Casagrande/Agencia RBS
Semana passada, junto com o decreto que flexibilizou a abertura de lojas de chocolate, também foi permitido aos lojistas receber pedidos de clientes Foto: Marcelo Casagrande / Agencia RBS

Se todas as atividades econômicas estão voltando, mesmo que aos poucos, por que não ocorre o mesmo com o comércio? Este é o principal questionamento do Sindilojas de Caxias, que motivou a entidade a ingressar com medida cautelar para reabertura. A ação foi movida contra o município solicitando o retorno das atividades a partir de quinta-feira, já que a prefeitura também está aguardando o governador Eduardo Leite revisar ou não o decreto estadual que permite abertura a partir desta quarta. Se for prorrogado o fechamento até o fim do mês, o varejo vai ficando sem muitas alternativas, segundo a presidente do Sindilojas, Idalice Manchini:

— Se não abrir 100%, a gente quer voltar aos poucos ao trabalho, como outros setores. As lojas estão estocadas com produtos de inverno e vão fechar empresas que não estavam preparadas para uma recessão tão longa.

Leia mais
Medida cautelar pedirá reabertura do comércio caxiense a partir de quinta-feira
Comércio caxiense fecha as portas com queda de 80% no faturamento de março 

Idalice ressalta que, em 40 anos, nunca teve seu comércio fechado por tanto tempo.

Sócia da Pole Modas, Idalice destaca que também sente os efeitos da crise com quatro unidades fechadas. Mesmo com a venda online tendo crescido cerca de 30% neste período, ela representa apenas 5% do faturamento. Segundo a entidade, só 3% a 5% do comércio caxiense atua com e-commerce.

Preparados para abrir

Mesmo sem poder vender nas lojas, o comércio tem recebido clientes para pagamento de contas, por exemplo. Segundo a presidente do Sindilojas, essa movimentação já demostrou que o varejo está preparado para atender ao consumidor respeitando medidas de segurança contra o Coronavírus.

— Se não tem álcool gel, distanciamento e outras medidas, o cliente nem entra — destaca Idalice.

Comércio já teve flexibilização

Na semana passada, junto com o decreto que flexibilizou a abertura de lojas de chocolate, também foi permitido aos lojistas receber pedidos de clientes. Com isso, foram realizadas vendas com o cliente buscando na loja ou com o comerciante entregando a domicílio.  O consumidor só não pode escolher as peças dentro da loja. A alternativa tem sido enviar imagens dos produtos pela internet.

Leia também
Comércio de Bento poderá receber clientes a partir desta terça para pagamento de contas
Justiça nega liminar para suspensão do funcionamento do comércio em Farroupilha
Duas mortes violentas são registradas em cerca de dez horas em Caxias do Sul

 
 
 
 
Pioneiro
Busca
clicRBS
Nova busca - outros