Quais os próximos empreendimentos a reabrir ou fechar? - Colunas do Caixa-Forte - Economia: impostos, financiamentos e mais - Pioneiro
 
 

Caixa-Forte22/04/2020 | 16h14Atualizada em 23/04/2020 | 12h05

Quais os próximos empreendimentos a reabrir ou fechar?

Donos de negócios que ainda não voltaram querem ter a oportunidade de retomar atividades

Quais os próximos empreendimentos a reabrir ou fechar? Lucas Amorelli/Agencia RBS
Academias de Caxias do Sul voltaram a funcionar nesta quarta-feira Foto: Lucas Amorelli / Agencia RBS

Primeiro foram a indústria e serviços, como restaurantes, que retomaram as atividades. Aí, veio o comércio cobrar os mesmos direitos. Abriram também salões de beleza. Depois, cresceu a pressão das academias. São mais de 300 estabelecimentos deste tipo em Caxias. A reclamação surtiu efeito e nesta quarta os espaço estão reabrindo. 

Os movimentos de setores da economia para o retorno das atividades faz com que sobrem poucos segmentos ainda de portas fechadas. Um deles é o de bares e casas noturnas. Outro é o de aluguel de quadras de esporte. Segundo o secretário de Urbanismo, João Uez, o município aguarda o posicionamento estadual sobre o tema e, por isso, não há perspectiva de reabertura para os empreendimentos. 

Leia mais
Decreto determina distanciamento de quatro metros entre frequentadores de academias em Caxias

Assim como outros setores que se sentiram injustiçados até a flexibilização, donos de negócios que ainda não voltaram querem ter a oportunidade de reabrir, mesmo com limitações. 

E como explicar atividades tão similares com tratamento tão diferente? Por que pode ir à academia, mas não pode ir à quadra de esporte? Como pode ir à igreja, mas não pode ir ao parque? A retomada gradual como medida para tentar controlar o avanço da pandemia provoca também distorções, deixando em desvantagem os que levam mais tempo para reabrir ou até mesmo, em risco de fechar o negócio de vez. Alguns ainda concorrem com estabelecimentos de cidades vizinhas com entendimento diferente em seus decretos.

É o caso de Bento Gonçalves, onde casas de festas, pubs, bares, casas noturnas e boates estão autorizados a abrir até as 22h, desde a semana passada. 

Este é o problema de não haver, primeiro, uma unidade entre os regramentos de cidades brasileiras e, segundo, um cronograma de longo prazo envolvendo o plano de retomada dos setores econômicos.

Leia também
Números da Randon de março já mostram efeitos da pandemia

 
 
 
 
Pioneiro
Busca
clicRBS
Nova busca - outros