Otimismo é moderado na construção civil - Colunas do Caixa-Forte - Economia: impostos, financiamentos e mais - Pioneiro
 
 

Caixa-Forte09/01/2020 | 06h15

Otimismo é moderado na construção civil

Em Caxias do Sul, Sinduscon e Assimbo já notam indícios de retomada

Otimismo é moderado na construção civil Antonio Valiente/Agencia RBS
Foto: Antonio Valiente / Agencia RBS
Pioneiro
Pioneiro

A Abramat (Associação Brasileira da Indústria de Materiais de Construção) divulgou nova edição do Termômetro da Indústria de Materiais de Construção, pesquisa de opinião realizada com as lideranças das empresas associadas. O estudo apontou o fim de ano "regular" a partir da análise das vendas em dezembro. A publicação também destaca o crescimento do otimismo, considerado moderado, dada a manutenção da média registrada nos demais índices da pesquisa. Em alinhamento com essa avaliação, para 67% das empresas associadas, o faturamento no mês de dezembro foi considerado "regular" As projeções para o mês de janeiro indicam desempenho mais positivo: 44% esperam um mês “bom”. O setor também viu crescer o otimismo com o governo no último mês, chegando a 40% das associadas.

A contribuição das famílias e pequenos empreiteiros vem sendo importante para a recuperação da construção. O setor é entendido como um termômetro para indicar sinal de retomada da economia. O volume de vendas no comércio varejista de materiais de construção, por exemplo, apresentou alta de quase 4% de janeiro a setembro de 2019 em comparação com igual período do ano anterior, aponta a economista Ana Maria Castelo, coordenadora de Projetos da Construção na Fundação Getulio Vargas/Ibre (Instituto Brasileiro da Economia), em artigo para o Observatório Brasileiro do Crédito Habitacional.

Os últimos números do desempenho do setor mostrados no site da Abramat registram crescimento de 1,2% em outubro, na comparação com o mês anterior, e de 1,9% no acumulado do ano, de janeiro a outubro de 2019, superior ao mesmo período de 2018.

Segundo a economista, essa tendência deve ter se intensificado no último trimestre com a liberação dos saques do FGTS, o que deve resultar em uma participação ainda mais relevante de famílias e pequenos empreiteiros no Produto Interno Bruto (PIB) da construção em 2019. A taxa de juros em queda é outro fator favorável.

Cenário semelhante em Caxias

Em Caxias do Sul, Sinduscon (o Sindicato da Indústria da Construção Civil) e Assimob (a Associação das Imobiliárias de Caxias do Sul) já notam indícios de retomada e projetam cenário bem melhor para o setor a partir de junho.

Entre os indicadores, a última edição da Expoimóvel, no final de setembro, teve o lançamento de 13 novos empreendimentos. Porém, esse número ainda não tem correspondência em vagas de trabalho, que reage com hesitação. Este ano, até novembro, foram geradas 171 vagas, porém, o saldo foi negativo em 100 no mês de novembro.

NÚMEROS DÍSPARES

> O número de unidades vendidas no Sudeste, por exemplo, aumentou 31,4% no terceiro trimestre deste ano na comparação anual. Na Região Sul, este indicador teve queda de 1,2% e, no Nordeste, o tombo foi de 10,2%

> Os lançamentos acompanham esse cenário. Enquanto no Sudeste houve aumento de 49,6% no 3º trimestre de 2019 em comparação com o mesmo período do ano anterior, nas regiões Nordeste e Sul o movimento foi de retração de 16,8% e 21,3%, respectivamente.

Fonte: Cbic, a Câmara Brasileira da Indústria de Construção

Leia também
Alta temporada no Vale dos Vinhedos
Agricultura da Serra sofre com os extremos do clima
Prefeitura e MobiCaxias se reúnem para estreitar relações

 
 
 
 
Pioneiro
Busca
clicRBS
Nova busca - outros