Fábrica de doces é adquirida na Serra e duplicará produção  - Colunas do Caixa-Forte - Economia: impostos, financiamentos e mais - Pioneiro
 
 

Caixa-Forte19/11/2019 | 14h24Atualizada em 19/11/2019 | 14h24

Fábrica de doces é adquirida na Serra e duplicará produção 

Os novos proprietários ambicionam alcançar o mercado internacional. Primeiro embarque foi enviado aos Estados Unidos na última semana

Fábrica de doces é adquirida na Serra e duplicará produção  Stéfane Possebon Marchett/divulgação
Norberto Vanassi Junior e Norberto Vanassi adoçam as expectativas Foto: Stéfane Possebon Marchett / divulgação

Um setor mais do que açucarado atiçou a curiosidade dos empresários Norberto Vanassi e Norberto Vanassi Junior. Pai e filho acabam de adquirir a fábrica de doces Serra Bella, com sede em Farroupilha e quatro anos de mercado.

A empresa elabora oito tipos de doces – pé de moça, mocinha de leite, beijo de moça, cocada baiana, brigadeiro, mocinha de chocolate, banana cremosa e banana cremosa zero açúcar –, que já são comercializados em pequenos supermercados do Sul do Brasil. As receitas, vindas da Bahia, são exclusivas.

 A nova direção é audaciosa: prevê duplicar a produção nos próximos seis meses, e atingir 200% de crescimento ao final de 2020.

Os novos proprietários ambicionam alcançar o mercado internacional. E o passaporte já foi carimbado, com o primeiro embarque enviado aos Estados Unidos na última semana. A intenção, além de conquistar o paladar dos americanos,  é que a marca também desembarque em grandes redes gaúchas de supermercados, aproveitando a expertise da família na área comercial e tendo como diferencial um doce genuinamente da Serra Gaúcha.

Com uma equipe de 12 funcionários, a Serra Bella produz atualmente 180 mil docinhos ao mês.

A saber: Norberto Vanassi Junior é também diretor da Ingredientes da Vida, indústria farroupilhense do ramo alimentício de vegetais minimamente processados, e trará sua experiência para a nova empresa.  

Leia mais
12 marcas da Serra brilham no Carrinho Agas
"Momento exige administração mais atuante e proativa", reclama presidente da CIC de Caxias do Sul
"Não perdemos o otimismo com o Brasil", diz CEO do Grupo Brinox

 
 
 
 
Pioneiro
Busca
clicRBS
Nova busca - outros