Cliente ainda compra por carnês - Colunas do Caixa-Forte - Economia: impostos, financiamentos e mais - Pioneiro
 
 

Caixa-Forte31/07/2019 | 06h00Atualizada em 31/07/2019 | 06h00

Cliente ainda compra por carnês

 Três em cada 10 brasileiros ainda usam crediário para adquirir no comércio

É só circular por tradicionais lojas para perceber que ainda é comum o uso de carnês para compras a prazo, a despeito do crescimento de modalidades como o cartão de crédito.

Pesquisa da Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL), junto ao SPC, confirma a permanência dessa prática antiga: três em cada 10 brasileiros ainda usam crediário, por meio de carnês, boletos e cartões próprios de lojas. 

Entre as motivações estão falta de condições de pagar as compras em dinheiro, pouca burocracia e possibilidade de parcelar e, com isso, comprar roupas e outros produtos para toda a família. O que não pode é a facilidade virar armadilha de endividamento. 

Grandes redes de magazines e lojas tradicionais apostam na modalidade de carnês, mesmo correndo o risco de inadimplência, pela fidelização do consumidor.

Ao entrar numa loja para pagar uma prestação, não raro o cliente acaba adquirindo mais artigos ou presentes. É um efeito cascata interminável.

Ele sente-se atrelado àquele estabelecimento porque não precisa ter dinheiro em mão para pagar. Pode parcelar em cinco, seis vezes sem juros, ou ainda utilizar a modalidade de crédito da própria rede.

É uma estratégia assertiva ao comércio, e que exige bastante planejamento do consumidor para não perder de vista os carnês e entrar na lista do SPC.

Leia mais
Governador assinará decreto de desoneração vinícola
"Precisamos é deixar a preguiça de lado", diz empresária do ramo de eventos de Caxias
Galeto al primo canto, a identidade de uma região

 
 
 
 
Pioneiro
Busca
clicRBS
Nova busca - outros